Review – Kimi no Na Wa (Anime)

Kimi no Na Wa
Kimi no Na Wa

Tendo assistido toda a obra do Makoto Shinkai lançada até a data desta review, eu devo dizer que, embora eu goste bastante de seus curtas, seus filmes nunca “clicaram” para mim. Não que os ache ruins, nem de longe. Muito pelo contrário: são todos bons. Mas também apenas isso: bons, nunca excelentes ou excepcionais. Certamente a presentação visual é incrível, mas isso sempre me pareceu o que mais se destaca em seus filmes. E como alguém que, por mais maravilhado que fique com a beleza dos cenários, espera mais do que isso de um filme, as histórias desse diretor nunca realmente ressoaram comigo. Então eu sinceramente não esperava grandes coisas de seu mais recente filme, Kimi no Na Wa (mais conhecido pelo seu título ocidental, Your Name), produção de 2016 do estúdio CoMix Wave Films. Mesmo com – e admitidamente talvez até por conta de – todo o hype que cercou o filme.

A sinopse também não ajuda, ao menos não para mim. Mitsuha, que mora em uma cidade pequena no interior do Japão, e Taki, que mora no grande centro urbano que é Tokyo, inexplicavelmente começam a trocar de corpos. Inicialmente, isso lhes parece apenas um sonho, sobretudo quando no dia seguinte eles estão de volta a seus corpos normais. Logo, porém, fica claro que aquilo foi bastante real, e agora eles precisarão lidar com esse misterioso evento, dado que ambos seguem trocando de corpos de forma aparentemente aleatória. Não é exatamente uma premissa que eu goste, e eu vou explicar porque depois. Mas antes de mais nada, preciso dizer o seguinte: apesar de tudo isso, esse filme me surpreendeu. Ele é, de fato, excelente, e o hype que o cerca é, arrisco dizer, merecido. Mas para explicar porque, eu terei de entrar em spoilers, então fica aqui o aviso.

Continuar lendo

5 Dos Mais Populares Animes de 2016 (e o Que Achei Deles)

kimi0

Desde que eu fiz a minha lista de 10 animes recentes que valem a pena assistir, eu queria dar continuidade a ela de alguma forma, especialmente considerando que aquela lista parava em 2013. E acho que encontrei um bom meio, e um que possivelmente irá se tornar um pequeno evento anual aqui no blog. Assim, o que planejo é que em toda primeira semana do ano eu traga duas listas referentes ao ano que acabou: em uma, comentando o que tivemos de mais popular, e, na outra, trazendo algumas indicações de obras que não foram assim tão faladas, com 5 entradas por lista. Para conferir a outra, clique aqui, mas por agora falemos um pouco sobre o que 2016 nos trouxe de mais popular, influente, icônico ou impactante.

Agora, antes de mais nada é preciso lembar que popularidade não significa qualidade, e de forma alguma essa lista deve ser vista como uma de “melhores animes do ano”. Até porque, eu não assisti tudo o que saiu no ano para poder fazer um julgamento do tipo. Mesmo muitos animes bastante populares eu acabei não assistindo, por um motivo ou outro. Mas bom, dos que eu vi, os 5 aqui presentes foram certamente os mais populares. Mas será isso apenas hype, ou teriam eles algo de bom de verdade? Bom, sem mais delongas, vamos à lista.

Continuar lendo

5 Bons Animes de 2016 (que Você Talvez Tenha Deixado Passar)

fune1

Desde que eu fiz a minha lista de 10 animes recentes que valem a pena assistir, eu queria dar continuidade a ela de alguma forma, especialmente considerando que aquela lista parava em 2013. E acho que encontrei um bom meio, e um que possivelmente irá se tornar um pequeno evento anual aqui no blog. Assim, o que planejo é que em toda primeira semana do ano eu traga duas listas referentes ao ano que acabou: em uma, comentando o que tivemos de mais popular, e, na outra, trazendo algumas indicações de obras que não foram assim tão faladas, com 5 entradas por lista. Para conferir a outra, clique aqui, mas por agora falemos um pouco sobre os animes de 2016 que, enquanto ainda divertidos, empolgantes ou legitimamente excepcionais, acabaram escapando ao radar de muitos.

Mas antes, é sempre válido deixar claro: isto não é um top. Estes não são os “melhores” animes de 2016, até porque não assisti tudo o que saiu no ano para poder fazer um ranking do tipo. Antes, são apenas 5 obras que não muita gente comentou a respeito, mas que eu ainda acho que merecem um pouco de exposição por um motivo ou outro. E sem mais delongas, vamos então aos animes.

Continuar lendo

Informe – Estamos voltando!! … Mas aos poucos.

anime-saki-happy-tears-face

No começo do mês passado, eu coloquei um aviso dizendo que o blog entraria em um hiato de um mês, com tudo voltando ao normal a partir de janeiro. E agora que estamos em janeiro, de fato o blog vai voltando… mas aos poucos.

Bom, o mais importante: o canal deve seguir em hiato até fevereiro. Eu acabei ficando bem mais atarefado ao longo de dezembro do que eu achei que ficaria, e voltar com o canal agora seria simplesmente demais para mim. Então vou deixar janeiro passar e em fevereiro o canal deve voltar 100% ao normal.

O blog, por outro lado, já retorna plenamente, e podem esperar um post novo toda sexta, como sempre o/

Finalmente, uma pequena novidade que teremos agora no novo ano é que eu decidi começar a fazer reviews curtas e rápidas de filmes de animes lá na páginaEssas reviews serão semanais e sairão todo domingo. E caso você perca alguma, não se preocupe: todas estarão em um album lá na página, então deem uma olhada lá caso queiram ficar em dia com os posts [rs].

Bom, por agora é isso. 2017 começa, e também aqui vamos recomeçando, só um pouquinho mais devagar [rs].

Até sexta. o/

Informe – Hiato do Blog

anime-jinrui-shock-face

Então né… ^-^’

Digamos que manter um blog e um canal, ambos semanais, se provou um pouco mais desgastante do que eu imaginei que seria. Então eu decidi aproveitar o final do ano para tirar uma “pequena” folga.

Isso é algo que eu já venho pensando há algum tempo, e não é exatamente sem propósito. Por exemplo, eu pretendo aproveitar o tempo em hiato para já deixar pronto alguns artigos e/ou vídeos, a fim de poder recomeçar as postagens regulares com um pouco mais de folga. Tem algumas outras coisas que planejo fazer nesse intervalo também, mas isso fica para quando voltar rsrs

E quando seria essa volta? Na primeira semana de Janeiro. Talvez um pouquinho antes, a depender de como andar o final de ano, mas a princípio esperem um retorno apenas no começo de 2017, dia 3/1 (terça) com um novo vídeo, e dia 6/1 (sexta) com um novo artigo.

E até lá, boas festas e um bom final de ano a todos o/

O meio otaku no facebook e os meus problemas com ele.

Minha cara ao entrar na maioria dos grupos otaku no facebook.
Minha cara ao entrar na maioria dos grupos otaku no Facebook.

Por mais que eu realmente adore anime, mangá e outros elementos da cultura pop japonesa, eu devo dizer que ando bastante cansado com a comunidade ocidental que se formou em torno dessas mídias: os otakus. E não, eu não estou me referindo à pré-adolescentes com casacos da Akatsuki e bandana do Naruto, correndo por ai com os braços para trás e falando palavras aleatórias em japonês. Em fato, a existência de tal estereótipo é um dos motivos pelos quais esse meio merece críticas, mas eu explico melhor isso em breve. Por agora, eu vou me limitar a dizer que o meio conta com problemas muito maiores – bom, para mim, ao menos – do que a forma como uma parcela dele se veste.

Mas antes de continuar com o artigo, eu sinto que é necessário um aviso. Veja, na vasta maioria dos meus textos, eu tento ser o mais calmo e “político” possível, mesmo nos eventuais momentos que eu estiver falando mal de algo. Já existe bastante negatividade, tanto no mundo real como na internet, e se eu puder evitar de adicionar ainda mais, eu irei ao menos tentar. Mas esse tema em específico é um que provavelmente sairá bem mais ofensivo do que eu gostaria que fosse. Não que eu não tentarei ser o mais sensato possível, mas considerando que toda a premissa aqui é apontar problemas que eu vejo no meio otaku é difícil dizer o quanto dessa sensatez será percebida – ou relevada – pelo leitor, que talvez se ofenda com alguns pontos apesar dos meus melhores esforços.

Então me permitam dizer o seguinte: este texto não está aqui para ofender ninguém. Antes, ele é em parte um desabafo de minha parte e em parte uma – provavelmente ingênua e inútil – tentativa de trazer à luz alguns pontos que as pessoas desse meio talvez se interessem em pelo menos pensar a respeito.

Continuar lendo