Marc Steinberg – Anime’s Media Mix

Foi em 2012 que Marc Steinberg, professor-associado de estudos de cinema na Universidade Concórdia, publicou seu livro Anime’s Media Mix: Franchising Toys and Characters in Japan.

Tal como o título sugere, trata-se de uma exploração do conceito de media mix, essa tão comum prática de tornar uma propriedade em toda uma franquia, a tal ponto que a linha que divide produto de promoção vai se esfacelando. É o anime um produto em si mesmo, ou apenas uma propaganda para o mangá que adapta? É cada vez mais difícil dizer.

Steinberg vem aqui argumentar sobre a centralidade do personagem para a media mix. Protagonizando o mangá, anime, livro e videogame, com seu rosto estampado em roupas, materiais escolares e brinquedos, e tendo mesmo suas próprias estatuetas, é o personagem que dá lastro à media mix, conectando mídias – e narrativas – das mais diversas.

Continuar lendo

Antiguidades – Shin Takarajima e o Mangá de Osamu Tezuka

Poucos autores poderiam alegar terem sido tão seminais para a história do mangá quanto Osamu Tezuka, o proverbial manga no kamisama: o “Deus do Mangá”. Responsável por uma vasta biblioteca de títulos, e por uma série de personagens ainda hoje icônicos, este estudante de medicina tornado mangaka é não poucas vezes apontado como grande responsável pelo mangá moderno.

Tezuka, porém, não brotou da terra com lápis em uma mão e papel na outra, já o melhor em sua arte. É preciso tempo para que alguém atinga a divindade, afinal. Sendo assim, neste artigo eu quero falar um pouco sobre uma das primeiras obras de sua carreira, um título que inclusive veio a se tornar tão mítico quanto o seu criador: Shin Takarajima.

E aos que se interessarem, o mangá foi lançado no Brasil pela editora New Pop, e pode ser encontrado para compra pela Amazon.

Continuar lendo