Uma Breve Análise – Yu-Gi-Oh! Duel Monsters: Filler Feito Certo

Quando fillers são uma inevitabilidade, como fazê-los?

Desde bem cedo na história da indústria do anime a relação deste com os mangás foi bastante estreita. E desde bem cedo, animes que tentaram adaptar mangás em andamento se depararam com um problema crucial: como cabe muito mais conteúdo em um episódio de anime do que cabe em um capítulo de mangá, é sempre apenas uma questão de tempo até que o primeiro alcance o segundo e fique sem o que adaptar. Como, então, proceder?

Ao longo da história foram pensadas diferentes soluções, e hoje a mais usual é a de se adaptar apenas uma parte do mangá, deixando um final inconclusivo e retomando a adaptação quando houver conteúdo suficiente no material original – isso se a primeira adaptação render bem, é lógico. No passado, porém, a ideia de simplesmente parar a transmissão do anime não era realmente muito agradável, o que levou outra solução para o problema: fillers.

O termo vem do inglês e significa “preencher”, referindo-se a conteúdo do anime (de pequenas cenas até arcos inteiros) que não está no material original, colocado ali com o objetivo de se ganhar tempo enquanto o mangá seguia em publicação. Uma prática, hoje, universalmente criticada, e não sem motivo. Fillers raramente eram tão bons quanto o material original, mas podemos dizer que isso nem era o maior problema.

Narrativamente, fillers eram quase sempre inúteis. Eles não podiam avançar muito a história, os personagens ou os seus objetivos, do contrário seria impossível retomar a adaptação de onde ela havia parado. Dessa forma, quase sempre era possível excluir os fillers de uma obra qualquer e absolutamente nada de valor seria perdido. Mas eis então que temos Yu-Gi-Oh! Duel Monsters, um anime que mostra que esse não precisa ser sempre o caso.

Continuar lendo

Lista – 5 Obras em Andamento que Valem a Pena Conferir

Evillious Chronicles // Lista 17/08/2015 // 1

Para mim, possivelmente a parte mais importante de uma obra é o seu final. Como eu bem disse no meu texto “A Importância do Final“, o final é o momento de síntese, onde tudo o que veio antes é colocado em uma balança. O que foi bem aproveitado, o que foi abandonado, o que foi explicado, os furos de roteiro que ficaram, o desenvolvimento dos personagens… Com a conclusão de uma obra somos verdadeiramente capazes de medir todos estes diferentes elementos e dizer, efetivamente, se a obra cumpre ou não com a própria proposta. Justamente por isso, eu tento manter, neste blog, uma política de completude: eu tento resenhar apenas obras finalizadas. E isso exclui bastante coisa da conta. Obras ainda em lançamento, obras que tem uma próxima temporada anunciada, obras que terminaram de forma inconclusiva e que talvez ganhem uma continuação, tudo isso eu acabo deixando de mencionar aqui, basicamente por não me achar capaz de resenhar uma obra sem ter o seu efetivo final. Isso dito, tem algumas poucas obras que eu acompanho e que, por conta da sua qualidade, eu realmente gostaria de dar algumas palavras a respeito delas.

Então vamos lá: para esta postagem, eu selecionei cinco obras ainda em andamento que eu estou acompanhando no momento. Mas não foi uma seleção aleatória! Em primeiro lugar, nada de animes da temporada. Estas são obras normalmente curtas (12 a 24 episódios), com muitos já para além da metade. Se ao final algum deles se destacar, tentarei fazer uma review do anime inteiro, ao invés de resenhar meia duzia de episódios agora. Não, eu decidi escolher obras que já estão em andamento há algum tempo, mas que, ainda assim, não mostram sinais de estarem para acabar (convenhamos, esta seria uma lista bem inútil se em dois meses tudo nela já tivesse acabado, né? rs). Além disso, eu decidi não me limitar a mídias. Não são cinco animes que valem a pena conferir, ou cinco mangás. São cinco obras, ponto. E é claro, essa lista foi feita em grande medida tendo por base a minha experiência pessoal. As coisas que assisti e assisto, as coisas que gosto… Em fato, justamente por isso este post não é um top. Não quero de forma nenhuma insinuar que estas cinco obras são melhores ou piores do que outras. São só cinco obras que eu gosto, que estão em lançamento e das quais eu estava a fim de falar um pouco. E se o leitor achar que vale a pena mencionar esta ou aquela obra, deixe sua contribuição nos comentários. Isso dito, vamos às obras:

Continuar lendo