Review – Chikyuu Shoujo Arjuna (Anime)

Arjuna // Review 03/09/2015 // 1
Chikyuu Shoujo Arjuna

Como está escrito no subtítulo deste blog, “nenhuma história é ingênua”. Quando eu digo isso, eu digo no sentido de que raramente podemos considerar a ideia de uma obra como fim em si mesma. Praticamente toda obra nos passa algum tipo de mensagem, quer seu autor esteja ciente disso ou não. As vezes é algo tão simples quanto valores morais (amizade, perseverança, honestidade, etc.), ao passo que outras é tão objetivo quanto um incentivo à compra de produtos licenciados. Mas enquanto eu realmente acredito que praticamente toda obra nos passa algum tipo de mensagem, no campo dos animes é difícil vermos obras que poderíamos chamar de “engajadas”. Seja em questões sociais, questões políticas, econômicas, etc., não é exatamente comum vermos obras que se foquem em levantar uma bandeira, seja ela qual for. Mas acontece. Como toda forma de arte, mesmo os animes tem o pequeno punhado de obras claramente comprometidas com uma causa. Criado por Shoji Kawamori e produzido pelo estúdio Satelight, o anime de 13 episódios “Chikyuu Shoujo Arjuna“, lançado em 2001, é definitivamente um destes casos.

A história começa quando nossa protagonista, Juna, morre em um acidente de moto. Conforme seu espírito flutua até que vê a Terra do espaço, ela ouve a voz de um garoto. Seu nome era Chris, e ele faz uma oferta a Juna: lhe devolveria a vida, se em troca ela concordasse em salvar a Terra. Aceitando, Juna então se torna a Avatar do Tempo, que tem como missão enfrentar as Raajas, monstros que vem causando destruição pelo mundo. Mas não deixe que esta sinopse o engane. Enquanto aparentemente apenas mais um mahou shoujo levemente mais sério, “Arjuna” é, em fato, uma obra verdadeiramente ambientalista. Com uma estrutura que beira o episódico, a série critica, de forma bastante ácida e chocante, diversos elementos da sociedade moderna, tais como os métodos agrícolas, a pecuária intensiva, e a dependência humana do petróleo. Se você ainda não assistiu o anime, certamente vale a pena conferir. Mesmo que seja uma obra claramente enviesada (o que não é ruim por si só, diga-se de passagem), ela traz boas reflexões que mesmo hoje ainda soam bastante atuais. Infelizmente, é preciso apontar que algumas posições que o anime toma são… “problemáticas”, para dizer o mínimo, mas dizer mais do que isso vai exigir alguns spoilers, então fiquem avisados. E isso dito, vamos então à review.

Continuar lendo

Review – AKB0048 (Anime)

AKB0048 // Review 18/12/2014 // 1
AKB0048

Alguns animes surgem apenas como divulgador de um produto. Esta frase possivelmente já é senso comum entre os fã desta mídia. De bonequinhos a jogos ou, mesmo, o material original em que o anime é baseado (mangá, light novel, vídeo game, etc.), alguma obras surgem  especificamente para fazer o mercado girar. Isso implica que estas obras são puro capitalismo em forma de anime, que está bem pouco preocupado com a qualidade do que irá entregar e mais preocupado com o retorno financeiro que pode obter disso? Bom, “AKB0048“, anime inspirado no, e certamente propaganda para o, grupo idol japonês AKB48, nos dá uma resposta: the hell no! Produzido pela Satelight e com Shouji Kawamori como diretor encarregado (yep, o cara responsável por uma porrada de animes de mecha foi o encarregado de dirigir um anime de idols. Eu não tenho ideia de quem foi essa ideia, mas certamente deu muito mais certo do que esse cara esperava), a primeira temporada do anime foi ao ar em 2012, com a segunda, “AKB0048 – Next Stage”, tendo ido ao ar em 2013.

E sobre o que é este anime? Bom, a história se passa no distante futuro de… Eu sei lá, no distante futuro, quando a humanidade deixou a Terra para colonizar o universo, estabelecendo novas sociedades em outros planetas. Mas alguns destes planetas tem uma política bastante… díspar. Sobretudo em planetas que são, acima de tudo, enorme fábricas de produção em massa, o entretenimento como um todo, incluindo ai a música, foi sumariamente proibido, proibição esta que é reforçada pela Deep Galactic Trade Organization (DGTO) e sua força militar, o Destoy Entreteinment Soldiers (DES). Não aceitando tal opressão, surge o grupo idol AKB0048. Com base em um dos poucos planetas que ainda permitem o entretenimento, Akibastar, o AKB0048 é um grupo de guerrilhas que viaja de planeta em planeta organizando shows ilegais, a fim de trazer alegria para os corações das pessoas oprimidas. Assim, numa mistura louca de “Star Wars meet magical gils, feat Idols”, surge um anime que, a princípio, eu não dava absolutamente nada. Mas, surpreendentemente, este acabou se mostrando um anime que eu considero muito bom. Bom, vamos lá, a partir daqui spoilers correrão soltos, então siga por sua conta e risco. Se você ainda não assistiu esse anime, definitivamente vale a pena. Ambas as temporadas tem apenas 13 episódios cada, em um total de 26 episódios.

Continuar lendo