Por que eu (ainda) consumo anime via pirataria?


Uma honesta e necessária reflexão.


Continuar lendo

Algumas críticas aos serviços de streaming de anime.

No passado, a televisão era nossa fonte primária de animes. E conforme esse papel passa para a internet, novos problemas vão começando a surgir.

Falar sobre serviços de streaming, ou mais especificamente sobre os problemas e defeitos que eles possuem, é quase sempre um tópico espinhoso. As pessoas tendem a ficar bastante defensivas discutindo esse tópico, e não raras vezes qualquer crítica a esses serviços é tratada como apologia à pirataria travestida. Isso muito possivelmente é fruto da retórica moralista que normalmente se usa para defender esses serviços, sendo muito mais comum ouvir que as pessoas usam deles por ser “o certo” ou para “ajudar o mercado” do que realmente por serem um bom produto. O importante, assim, se torna mostrar que você é moralmente superior, pouco importa a real qualidade do produto que você consome: um comportamento tóxico não apenas para o meio de fãs de anime e mangá, mas também para os próprios serviços de streaming. Afinal, uma retórica do tipo nada mais é do que uma carta branca para a estagnação, na medida em que se espera que você use desses serviços não pelo mérito de suas qualidades, mas sim tão somente pelo mérito da sua pura existência. Um ideal que vai se tornar cada vez mais difícil de se sustentar em uma industria em franco crescimento, onde novos serviços do tipo vão surgindo regularmente.

Sim, existem aqueles que simplesmente não possuem o capital necessário para investir em um serviço do tipo, e sim, existem aqueles que não o fazem por questões muito mais ideológicas. Para esses dois grupos nenhuma melhora desses serviços será o bastante, mas vale também dizer que nenhum argumento moral os irá convencer. Em todo caso, um cenário do tipo ainda não significa que devemos ser complacentes com os problemas que cercam os serviços legais de streaming, muito menos significa que eles próprios não deveriam buscar melhorar como puderem. Antes de mais nada, eu quero pedir ao leitor que deixe as suas noções pré-concebidas de lado e não veja este texto como uma defesa da pirataria – ele não o é. O que eu quero fazer aqui é tão somente apontar algumas áreas nas quais eu gostaria de ver os serviços de streaming melhorarem, bem como reais problemas que precisarão eventualmente ser resolvidos de alguma forma se os serviços hoje existentes esperam continuar ativos daqui alguns anos. Assim sendo e finalizado todo esse preambulo, vamos então ao texto.

Continuar lendo