Saito Tamaki – Beautiful Fighting Girl

Foi no ano de 2000 que o psicologo japonês Saito Tamaki publicou seu livro Sento Bishojo no Seishinbunseki, que chegaria ao ocidente onze anos depois baixo o título Beautiful Fighting Girl. Essencialmente uma análise (mesmo uma defesa) da sexualidade do otaku, aqui o autor parte da figura da “Bela Garota que Luta” – essas garotas adolescentes e pré adolescente, dotadas de habilidade de combate e de uma capacidade intrínseca de incitar o desejo sexual daquele que a vê – para tecer considerações sobre a distinção entre realidade e ficção, o (então) atual ambiente midiático, além de uma série de outras questões, tudo isso enquanto se pautando sobretudo nas ideias do psicanalista francês Jacques Lacan.

Lançado em inglês pela editora da Universidade de Minessota, com tradução de J. Keith Vincent e Dawn Lawson, o livro já chegou a ser bastante criticado pela sua excessiva, mesmo exclusiva, atenção às experiências de otaku homens heterossexuais, apenas brevemente reconhecendo a existência de otaku mulheres e nem isso para aqueles que fujam à heteronormatividade (gays, trans, etc.) [1]. Nesse sentido, ele acaba sendo um trabalho bem mais restrito em escopo do que seu autor provavelmente intencionava. Ainda assim, a simples influência que o livro teve, como um dos trabalhos pioneiros sobre o otaku, mais que justifica dar uma olhada no que Saito tinha a dizer.

Quem desejar adquirir uma cópia do livro, ele está disponível para compra pela Amazon brasileira, tanto na forma física como na de e-book. Alternativamente, uma prévia do livro pode ser visualizada pelo Google Books.

Continuar lendo