Os animes estão morrendo?! Não. Mas a industria está mudando.

Saki // Ensaio 07/10/2016 1
Será este o fim dos animes?! Bom… É um pouco mais complicado do que parece.

Os animes estão morrendo! De novo… Mas desta vez não foi Hayao Miyazaki ou Hideaki Anno quem disse isso: foi Yukata Yamamoto, diretor responsável por animes como Haruhi Suzumiya no Yuutsu e Lucky Star. Isso dito, considerando que as declarações de Miyazaki e Anno foram severamente distorcidas quando caíram na internet (o primeiro se referia muito mais à indústria se fechando em si mesma, criando obras mais para otakus do que para o público em geral; já o segundo tratava de uma questão puramente econômica e de produção, apontando que o modo de produção de animes atual é insustentável, com baixos salários e alta pressão, fora a ascensão de estúdios coreanos ou chineses, que eventualmente suplantariam os estúdios japoneses), resta a nós nos perguntarmos: o que Yamamoto realmente quis dizer com a sua fala?

Bom, felizmente não é necessária uma pesquisa exaustiva para se entender o ponto do diretor. Uma matéria do site Anime News Network já cuida de esclarecer o que o autor quis dizer, mas se você não entende inglês o site HGS News trouxe um bom resumo-tradução da declaração. E, essencialmente, a crítica de Yamamoto é, como ele próprio admite, algo bastante pessoal, se referindo aos animes que ele conhecia: animes mais voltados para o público em geral, ao invés de altamente focados na sub-cultura otaku, chegando a dizer que a estética moe está se tornando “fascista” (soa familiar?). Contudo, ele ainda reconhece uma tendência recente de produzir animes para o público em geral, e elogia filmes como Kimi no Na Wa, do Makoto Shinkai, e a recente produção da Pixar, Zootopia, como obras não voltadas para a pura venda de merchandising.

Continuar lendo

Antigamente era melhor?

Evangelion Madoka // Ensaio 06/08/2015 // 1
Clássicos e influentes, Neon Genesis Evangelion (1995) e Mahou Shoujo Madoka Magica (2011) marcaram época.

Frequentemente, ressurge, de novo e de novo, o conhecido debate entre o hoje e o ontem. Tal e qual o antigo mito grego, onde a uma era de ouro sucede uma de prata e depois outra de bronze, em uma continua decadência da humanidade, aparentemente alguns fãs assim veem a industria de animes: em um continuo declínio onde antigamente era tudo muito melhor. Seria, talvez, efeito de pura nostalgia, do tipo que leva a uma pessoa que cresceu brincando na rua com peões e pipas a olhar com desdém para as crianças que, hoje, passam seu tempo em frente à televisão e ao computador? Seria talvez puro desconhecimento e falta de informação, do exato mesmo tipo que leva, hoje, a coisas como protestos pela volta da ditadura militar? Ou, por que não, estariam eles certos? Não seria o passado realmente melhor? Não é como se o progresso fosse obrigatório ou uma lei natural, aplicável a absolutamente todas as coisas e todas as esferas da existência. As coisas podem piorar, não há nada que impeça isso, então será que é este o caso? Será que realmente antigamente era melhor? Pelo menos no caso dos animes, dado que este blog é voltado justamente para isso: será que antigamente era melhor do que hoje? Bom… como quase toda pergunta, podemos dar uma resposta curta e simples: é complicado. Já para a resposta longa e detalhada… bom, é pra isso que serve o resto desse texto (rs).

O grande problema dessa questão é que para respondê-la nós precisamos definir (e muito bem definido, diga-se de passagem) dois conceitos: o de “antigamente” e o de “melhor”. Quanto tempo eu preciso voltar para ser considerado “antigamente”? Até a temporada passada de animes? Cinco anos atrás? Dez anos atrás? Trinta anos atrás? O mais provável, verdade seja dita, é que cada um que usa desse argumento de que “antigamente era melhor” está pensando em uma data diferente. Aqueles que nasceram nos anos 1980 possivelmente se referem aos animes de finais da década de 80 e início dos anos 90. Já os que nasceram na década de 1990 possivelmente se referem a obras que vão até, grosso modo, o começo dos anos 2000. E se concordam que estas eram melhores que as atuais, possivelmente discordariam de qual seria a melhor época, se os anos 1980, 1990 ou 2000. E o conceito de “melhor” não é nem um pouco menos complicado. Melhor em que? Animação? História? Personagem? Traço? De novo, o mais comum é que cada pessoa estará pensando em um ponto ou conjunto de pontos diferentes. Alguns podem argumentar que preferem o traço, design e coloração dos animes de antigamente, enquanto outros podem apontar que as tramas eram melhor construídas, melhor trabalhadas e com menos clichês. Mas novamente, podem discordar em outros pontos. Nestes meus dois exemplos, o primeiro pode achar as tramas atuais mais inovadoras, enquanto o segundo pode achar o traço atual bem mais bonito. Como eu disse: é complicado! Continuar lendo