Uma Breve Análise – Gatchaman Crowds: Cor Importa

Gatchamn Crowds // Análise 21/08/2016 1
Gatchaman Crowds

(Esta análise foi originalmente publicada na página do blog no facebook)

Quer você tenha assistido Gatchaman Crowds ou não, não é difícil notar o quão colorido é o anime. Algo que, aliás, já vemos desde o pôster de divulgação do anime.

Gatchaman Crowds é, para todos os efeitos, uma re-imaginação (talvez mesmo uma re-conceitualização) da série Kagaku Ninjatai Gatchaman, dos anos 1970, que nessa encarnação de 2013 mostra um grupo de heróis cuja missão é proteger a Terra de ameaças alienígenas. O grupo é inicialmente composto por 5 pessoas, e a sexta escolhida, Ichinose Hajime, é a protagonista da história, recém-chegada ao meio e que terá de aprender o trabalho destes heróis.

Agora, apesar dessa premissa básica, o roteiro fica muito, muito mais complicado do que apenas isso, sobretudo com a introdução de Ninomia Rui e o sistema Galax, uma mescla de jogo virtual e rede social que vem conectando as pessoas e permitindo que elas se ajudem. O objetivo de Rui sendo, afinal, a confecção de um mundo sem heróis, onde as pessoas possam andar com as próprias pernas.

Continuar lendo

Review – Gatchaman Crowds

Gatchaman Crowds // Review 20/12/2015 // 1
Gatchaman Crowds

Existem obras que desafiam ao senso comum, e isso em mais de uma forma. Gatchaman Crowds, anime produzido pela Tatsunoko Production e dirigido por Kenji Nakamura, é certamente um deste casos. Lançado em julho de 2013, a série original continha um total de 12 episódios mais um episódio especial, que consistia basicamente na segunda metade do 12º episódio com algumas cenas adicionais. Dois anos depois, em julho de 2015, a série ganha um episódio especial que serve de prólogo à sua segunda temporada, lançada ainda no mesmo mês de julho e intitulada Gatchaman Crowds Insight, o que resulta em um total de 26 episódios. E, de forma geral, a série foi produzida para dialogar com a franquia Gatchaman, iniciada com o anime Kagaku Ninjatai Gatchaman, de 1972, produzida pelo mesmo estúdio. E sim: eu disse dialogar. A série não age como continuação, reboot ou mesmo adaptação do anime de 1972, e não fosse pelo título e algumas referências pontuais não haveria se quer porque colocá-los na mesma franquia, o que por si só foi uma decisão curiosa por parte da produção. Curiosa, mas certamente não negativa. Ao completamente se desprender da franquia tal como era até então, Gatchaman Crowds permite que não seja se quer necessário saber da existência de Kagaki Ninjatai e suas continuações, mas ainda assim coloca algumas referências e easter eggs que certamente irão ressoar aos ouvidos daqueles que conhecem o anime antigo. Talvez pudéssemos dizer que Gatchaman Crowds é uma homenagem à franquia iniciada na década de 1970, mas eu talvez fosse um pouco mais longe e o colocasse como uma homenagem, mas também uma crítica, a todas as histórias de super-heróis.

E sobre o que é este anime? Bom, a história se passa no Japão moderno, onde Ichinose Hajime, estudante do ensino médio, é abordada por um homem alto e misterioso conhecido como JJ. Nesse encontro, JJ retira de dentro da Hajime um NOTE, a encarnação material da alma de uma pessoa em formato de agenda. A partir deste momento, Hajime passa a fazer parte do grupo Gatchaman, responsável pela proteção da Terra contra alienígenas que possam causar o mal. Mas isso é apenas metade da história. Enquanto os Gatchamans lutam nas sombras para proteger o mundo, Ninomia Rui procura uma outra forma de melhorá-lo. Tendo criado o aplicativo e rede social GALAX, seu objetivo é permitir que qualquer pessoa possa ser um herói, o meio para tanto sendo a conexão entre as pessoas. Assim, GALAX permite que uma pessoa com um problema peça ajuda e o próprio sistema do aplicativo procura alguém nas proximidades capacitado e disposto a ajudar a pessoa. Para Rui, o mundo não precisa de heróis: as pessoas devem ser capazes de andar com as próprias pernas. Ambas as visões de mundo, a dos Gatchaman e a de Rui, porém, colidem quando o alienígena Berg Katze começa a causar problemas na Terra, e é aqui que eu paro esta sinopse. Não dá para dar maiores detalhes sem entrar em spoilers, então fica aqui o aviso para os que ainda não assistiram o anime. Sinceramente, esse anime vale a pena ser visto, e se você ainda não o fez eu recomendo que pelo menos dê uma chance. No mínimo, eu posso dizer que é um anime diferente do que vemos normalmente, especialmente dentro do gênero “super-heróis”. E isso dito, vamos à review.

Continuar lendo

[C]: Control – Desejo e Realidade: O Conflito Entre o Presente e o Futuro

C // Analise 09/10/2014 // 1
Masakaki, uma misteriosa figura que habita o Distrito Financeiro

Dirigido por Kenji Nakamura e produzido pela Tatsunoko Produções, em 2011 chegou às televisões japonesas o anime [C]: The Money of Soul and Possibility Control. Conhecido também como [C]: Control, ou mesmo apenas [C], a história de produção original (isto é, não embasada em qualquer mangá, light novel ou qualquer fonte prévia) acompanha o jovem estudante universitário Kimimaro. Sem grandes objetivos ou metas, com seu sonho para o futuro sendo conseguir uma vida estável, o maior problema que nosso protagonista enfrenta é uma constante falta de dinheiro. Isto até que aparece em seu apartamento a estranha entidade que se apresenta como Masakaki. Neste momento, ele faz à Kimimaro uma oferta no mínimo estranha: se o jovem estiver disposto a oferecer seu futuro como garantia, Masakaki conseguiria para ele grandes somas de dinheiro. Obviamente o garoto não acredita nele e praticamente o ignora, mas isso só dura até que Kimimaro olha sua conta bancária e percebe que havia recebido um grande depósito em dinheiro. Confuso e sem saber o que pensar, ele decide tentar sacar um pouco dessa quantia. Quando ele toca no dinheiro, o contrato é selado. Kimimaro se torna um Entrepreneur e deve agora lutar contra outros como ele na dimensão paralela conhecida como Distrito Financeiro. A vitória significa mais dinheiro, mas a derrota significa perder seu próprio futuro.

Agora, como de costume eu deixo aqui meu aviso de spoilers. Para esta postagem, eu irei tocar em muitos pontos referentes principalmente ao final do anime e, sim, haverão spoilers sobre o final como um todo. É altamente recomendado que se assista ao anime antes de seguir em frente com a leitura, caso você seja daqueles que não suportam receber qualquer tipo de spoilers. O anime tem apenas 11 episódios e certamente vale a pena conferir, embora não seja realmente necessário qualquer conhecimento prévio da obra para entender esta postagem em si. No mais, àqueles que decidirem continuar a leitura, seja por já conhecerem o anime, seja por não se importarem com spoilers, lhes desejo uma boa leitura o/

Continuar lendo