Lista – 5 Adaptações Melhores que o Original

Quase sempre, a obra original é melhor do que qualquer uma de suas adaptações. Isso não é necessariamente um demérito para a adaptação em si: ao passar uma história de uma mídia para outra há tantos fatores a se considerar que pode parecer inevitável que uma adaptação saia pior que o original. E, ainda, muitas adaptações conseguem ser realmente boas por si mesmas, mesmo que ficando abaixo do original se comparados. A palavra chave aqui, porém, é “quase”: se essa máxima vale para a maioria das obras, ainda existem algumas exceções bastante notáveis.

Para essa lista, então, eu selecionei algumas dessas exceções. Agora, para ser bem sincero, o meu escopo de obras do tipo é até que bem pequeno. É raro eu consumir a mesma história em mais de uma mídia, então normalmente eu nem tenho o que comparar para dizer qual versão é a melhor. E nos raros casos em que eu de fato consumo ambas as versões, bom, normalmente fica aquela máxima: o original é melhor. Ainda assim, consegui reunir alguns exemplares aqui, e no final do dia essa lista é menos sobre essas obras em si e mais sobre o que faz suas adaptações tão melhores que o original. E feita essa ressalva, vamos então à lista.

Continuar lendo

Anúncios

[Vídeo] Uma Breve Análise – K-ON!

E depois de um mês sem uma nova análise, o quadro do canal retorna com uma sobre o melhor anime sobre nada já feito /o/ Mas em toda seriedade agora, K-ON! é um ótimo anime, e um do meus prediletos. Divertido, engraçado, mas também com seus momentos tocantes. Espero que gostem da análise, e se você já assistiu o anime não deixe de dar uma conferida também na review do mesmo, aqui no blog o/

Review – K-On! (Anime)

K-On!
K-On!

Para aqueles que não conhecem, K-On! é um mangá yonkoma (ou seja, um mangá em tirinhas de quatro quadrinhos) escrito e ilustrado por Kakifly e originalmente publicado na revista seinen Manga Time Kirara entre os anos de 2007 e 2010. No Brasil, a editora New Pop foi a responsável pela publicação dos seis volumes do manga, sendo quatro deles a série “principal” e dois deles “spin-offs” contando histórias que ocorrem após o final da série original. Os mangás são todos de ótima qualidade e bastante recomendados para quem gosta de comédia e moe. Mas o que eu quero falar aqui não é sobre o mangá, mas sim sobre sua adaptação para anime. Com uma primeira temporada de 13 episódios em 2009, mais uma segunda temporada de 26 episódios em 2010, além de alguns OVAs curtos e um filme, K-On! é possivelmente aquele tipo de anime todos que gostam de anime e mangá ao menos já ouviram falar, tenham assistido ou não e gostem ou não.

Sem dar qualquer spoiler maior, a trama de K-On! se resolve em torno do clube de musica leve do colégio para meninas Sakuragoaka. Com o clube às moscas e prestes a ser declarado fechado por falta de membros, Ritsu e Mio decidem se inscrever para o clube e dar a ele um novo começo. Entretanto, elas precisam conseguir pelo menos mais dois membros para o clube ser oficializado, e é ai que entram as duas outras meninas, Tsumugi e Yui. Juntas, as garotas montam a sua própria banda e tocam em diversos eventos escolares. E… é isso. Não há qualquer trama ou projeto maior por trás, é simplesmente o dia a dia dessas quatro garotas na escola, conversando e tocando algumas músicas. Então… o que há por trás desse anime para que ele entre no rol daquelas obras tão famosas que todos pelo menos já ouviram falar? Bom, na minha opinião, a resposta está ligada aos dois principais elementos da história: o seu caráter de slice of life e o seu elemento de comédia.

Continuar lendo