Então… o que vocês têm a dizer? #2


Um pedido de feedback.


Continuar lendo

Anúncios

Então… o que vocês têm a dizer? (ou, Algumas palavras sobre feedback)

Sabem… Em pouco mais de  três anos e meio escrevendo para este blog, uma das coisas que pude constatar é o quão difícil pode ser para um criador de conteúdo conseguir um bom feedback daquilo que produz.

Claro métrica é algo relativamente fácil de se conseguir. Aqui no blog, o WordPress, mesmo em sua versão gratuita, me oferece alguns dados úteis, como o número de visualizações em um artigo qualquer. O YouTube é até um pouco mais generoso: posso mesmo ver se as pessoas estão assistindo os vídeos até o final ou parando no meio. Mas números podem dizer surpreendentemente pouco. Saber que um artigo X teve cinco, cinquenta ou cem acessos não vai me dizer quantas dessas pessoas o leram até o final. E saber que as pessoas estão assistindo a um vídeo Y apenas até a metade não me diz porque elas estão perdendo o interesse nele após esse ponto.

Comentários são, assim, a melhor fonte de feedback que um autor pode ter, mas mesmo eles não são livres de problemas. Em primeiro lugar, existe um bias inerente à qualquer seção de comentários, que atraem geralmente dois tipos de pessoas: aqueles que leram o texto (ou assistiram o vídeo) até o final, e aqueles que comentam só tendo lido a chamada (felizmente esse segundo tipo nunca me apareceu, nem aqui no blog nem no canal). Sendo assim, aqueles que abandonam o texto na metade ou que nem clicam nele em primeiro lugar seguem não contemplados.

Fora o fato de que comentários são sempre algo bastante pontual. Apontamentos quase sempre sobre aquele texto (ou vídeo) em específico. Elogiando. Contribuindo. Criticando. Raramente você irá encontrar um comentário mais “generalista”, um que fale sobre o blog ou o canal como um todo (e isso não só aqui: em praticamente qualquer plataforma).

Continuar lendo