Étienne Barral – Otaku: Os Filhos do Virtual

Foi em 1999 que Étiene Barral, jornalista francês residindo no Japão, publicou seu livro Otaku: Les enfants du virtuel. No ano seguinte o livro chegaria ao Brasil baixo o título Otaku: Os Filhos do Virtual, pela editora SENAC, com tradução de Maria Teresa Van Acker.

Uma interessante exploração da cultura japonesa às vésperas da virada do milênio, o foco na figura do otaku justifica-se na tese que Barral busca defender: a de que o otaku, enquanto necessariamente apartado da sociedade, pode por isso mesmo expor as contradições subjacentes a essa mesma sociedade. Eles seriam, portanto, um sintoma de um mal estar muito mais profundo, capaz mesmo de gerar consequências bem mais desastrosas do que apenas alguns aficionados por figures e mangás.

Continuar lendo