Uma Rápida Review – Stranger: Mukoh Hadan

Review originalmente publicada na página do blog no facebook, em 23/01/2017

Pra ser bem sincero, eu não sei muito o que comentar. Bom, em primeiro lugar: sim, eu gostei, e me diverti bastante assistindo. Mas é o seu típico filme de ação de samurais. Não falando isso de forma pejorativa, e no final o filme entende MUITO bem o que ele é e entrega uma experiência gostosa pra passar a tarde.

A história é a sua típica história do samurai que decidiu abandonar a guerra, mas acaba se envolvendo com um inocente sendo perseguido e acaba ajudando e… é, não é o mais original dos roteiros. Mas em não tentar o ser, o filme pode se concentrar justamente no que faz uma boa obra de ação: personagens interessantes e lutas legais.

Continuar lendo

[Vídeo] Uma Breve Análise – Fullmetal Alchemist: Brotherhood (+ Info sobre o canal)

Pois é pessoal, o blog agora tem um canal no youtube. Clique em “continuar lendo” e saiba um pouquinho mais a respeito =)

Continuar lendo

Uma Breve Análise – Fullmetal Alchemist Brotherhood: Consistência na Mensagem

Fullmetal Alchemist // Análise 17/07/2016 1
Fullmetal Alchemist: Brotherhood

(Esta análise foi originalmente publicada na página do blog no facebook)

Fullmetal Alchemist: Brotherhood, uma produção de 2009 do estúdio Bones, é possivelmente uma das poucas obras da animação japonesa que dispensam apresentações. A história dos dois irmãos que cometeram o maior dos tabus alquímicos, a transmutação humana, e agora lidam com as consequências disso, é talvez um dos mangás e animes mais famosos que há.

Agora, ao longo de Fullmetal certamente uma temática desponta como uma das mais importantes: uma clara mensagem contra a guerra. Não é realmente uma mensagem inédita na história, mas o que eu quero apontar aqui é que Fullmetal Alchemist é uma das poucas obras que conseguem passar essa mensagem da forma correta. Isso por um fato bastante difícil de se conseguir: a sua consistência.

É bom eu avisar, mas os próximos parágrafos terão spoilers sobre diversos pontos da obra, então se você ainda não assistiu ou leu Fullmetal Alchemist eu definitivamente recomendo que o faça. Acreditem, o anime vale cada um de seus 64 episódios. E dado o aviso, continuemos…

Continuar lendo

Fullmetal Alchemist: Brotherhood – A Alquimia e a Busca Pela Pedra Filosofal

Fullmetal Alchemist // Análise 24/06/2016 1
Uma não-tão-breve exposição sobre Fullmetal Alchemist e a Alquimia.

Originalmente lançado em 2001, na revista Gekkan Shounen Gangan, o mangá Fullmetal Alchemistde Hiromu Arakawa, possivelmente figura entre as obras mais famosas do meio otaku, além de ser bastante conhecido mesmo fora dele. Seu sucesso foi tanto que inspirou nada menos que duas adaptações em anime: a primeira, uma produção do estúdio Bones de 51 episódios, lançada em 2003, e a segunda, do mesmo estúdio, mas agora com 64 episódios (e seguindo mais fielmente ao mangá, ao passo que a primeira adaptação em dado momento desvia completamente a obra original), lançada em 2009. A história dos dois irmãos que tentaram a transmutação humana para reviver a sua falecida mãe, sofreram as consequências desse ato desesperado, e agora buscam pela lendária Pedra Filosofal para reaver seus corpos originais, portanto, já é bastante conhecida

Por conta disso, é inevitável que muitos otakus se sintam familiarizados com conceitos como a alquimia e a busca pela pedra filosofal. Mas é válido perguntar: o quanto de suas contrapartes reais (a ciência que imperou na europa medieval até em torno do século XVIII e a sua busca incessante pela transformação de metais comuns em ouro) Fullmetal Alchemist acerta? É a alquimia dentro do anime (e sim, para este texto eu irei tratar expecificamente do anime de 2009, Fullmetal Alchemist: Brotherhood, que adapta mais fielmente o mangá de 2001) próxima daquela que existiu no mundo real, ao menos em seus conceitos e ideias? E seria a verdadeira Pedra Filosofal próxima àquela apresentada no anime? Estas – e ainda outras – perguntas é o que iremos explorar ao longo deste texto. E sim, haverá spoilers, então considere isso antes de avançar. No mais, comecemos.

Continuar lendo