Debate – Bate-Papo Sobre a Pirataria

Hunter x Hunter // Debate 19/08/2017 1

Pirataria é um assunto que vez ou outra ressurge no meio otaku. Natural, dado o quanto ela está intimamente ligada tanto à forma como o anime e mangá se popularizaram mundo afora, como também, em maior ou menor medida, à forma como essas mídias ainda são consumidas.

Posicionamentos a seu respeito variam, desde aqueles que acreditam que ela é benéfica em si mesma até aqueles que creem que ela é uma relíquia do passado, fruto de uma era onde era impossível assistir animes ou ler mangás legalmente, e que agora ela deveria ser deixada para trás.

É um assunto complicado, mas justamente por isso é um que vale a pena ser discutido. E discuti-lo é o que fizemos: eu, o Cat, do Dissidência Pop, e o Vinícius, do Finis Geekis. Nosso debate foi publicado na íntegra lá no Dissidência Pop, então passem lá para dar uma olhada. E claro, sintam-se a vontade para, também, dar a opinião de vocês no assunto.

Link para o debate: Bate-Papo Sobre a Pirataria

Imagem: Hunter x Hunter (2011), episódio 137

Debate – A Filmografia de Makoto Shinkai

Colagem Filmes Shinkai // Debate 24/02/2017 1
A filmografia de Makoto Shinkai.

Makoto Shinkai foi talvez um dos nomes mais comentados no meio otaku de 2016. Isso sobretudo por conta do seu mais recente filme, Kimi no Na Wa [review], que semana após semana quebrava algum novo record de bilheteria no Japão. Mas verdade é que o diretor já era bem conhecido muito antes de seu mais novo hit, tendo ganhado notoriedade inicialmente com seu curta Hoshi no Koe (2002), embora no Brasil ele talvez seja mais conhecido pelos seus filmes Byousoku 5 Centimeter (2007) e Kotonoha no Niwa (2013), sobretudo porque antes tiveram a sua adaptação em mangá lançada aqui no Brasil pela editora New Pop.

Aproveitando então o momento, juntamos aqui um pessoal da blogosfera animística para falar um pouco sobre o que achamos da filmografia do Makoto Shinkai. Assim, aqui temos o Cat Ulthar, do blog Dissidência Pop; o Vinícius Marino, do blog Finis Geekis; e o Vitor Verde, do canal no YouTube VitorVerde.

E para já dar início a esse debate, eu acho por bem já lançar aqui duas perguntas aos participantes. Em primeiro lugar: o que vocês acham da filmografia do Makoto Shinkai de maneira geral? E, em segundo lugar, e como acho inevitável tocarmos nesse assunto mais cedo ou mais tarde: quem aqui já assistiu Kimi no Na Wa e, dos que viram, o que acharam dele?

Continuar lendo

Debate – Objetividade na análise de animes [Parte 2] (Uma colaboração da Blogosfera Otaku BR)

Kino no Tabi // Debate 05/08/2016 // 1
“Can you end telling a story?”

Bem vindos de volta agora à segunda (e última) parte do debate com alguns dos membros da Blogosfera Otaku BR. Se você por acaso ainda não leu a parte 1, siga o link e de uma conferida em como a discussão chegou onde ela chegou. Porque enquanto na primeira parte nós discutimos mais a respeito de se é ou não possível analisar objetivamente aos animes (ou mesmo qualquer tipo de arte, conforme os argumentos levantados então), nesta parte a discussão irá mais para o lado de qual a utilidade, em primeiro lugar, de se analisar algo objetivamente ou não.

E para esta parte, temos mais um participante! Além dos já mencionados Vinícius Marino, do Finis Geekis; Vitor Seta, do Otaku Pós-Moderno; Fábio Godoy, do Anime 21; e Cat Ulthar, do Dissidência Pop; agora se junta à nós também o Kouichi Sakakibara, do Animes Tebane. E antes de passar, efetivamente, para a discussão, só queria dizer que mais uma vez foi um debate de bastante alto-nível, em termos de argumentos, respeito e conversação, e ao leitor eu espero que fique no mínimo a mensagem de que pessoas podem discordar sem quererem cair no pescoço umas das outras [rsrsrs]. Como da outra vez, se você ainda não conhece a Blogosfera Otaku, de uma olhada pelo link mais acima, e encerrados todos os avisos vamos então ao debate /o/

Continuar lendo

Debate – Objetividade na análise de animes [Parte 1] (Uma colaboração da Blogosfera Otaku BR)

Kino no Tabi // Debate 03/08/2016 // 1
Um debate sobre a objetividade.

Eu vou começar este texto indo direto ao ponto: é possível julgar um anime ou mangá objetivamente? Ou, ainda, existem critérios objetivos para se dizer se uma obra do tipo é boa ou ruim? Ou é tudo puramente questão de gosto?

Na minha opinião, a resposta à primeira pergunta é um sonoro e categórico não. “Objetivo” implica, a meu ver, em algo fora da dimensão humana, e que por isso qualquer um, em qualquer lugar, quando apresentado às evidências, pode constatar. É objetivo que a gravidade, a força gravitacional, existe. É objetivo que a Terra gira em torno do Sol. É objetivo a existência material de algo, como uma árvore em um parque. Mas não é objetivo a pretensa qualidade de qualquer obrar de arte. Isso porque os critérios para definir o que faz ou não uma boa arte são subjetivos e estão em constante mudança.

Continuar lendo

Animes são uma mídia para adultos? – Parte 2 (Uma colaboração da Blogosfera Otaku BR)

Joke Game // Debate 13/07/2016 1

Na última sexta feira eu postei aqui no blog uma chamada para a primeira parte de uma conversa entre alguns dos membros da blogosfera otaku, no qual discutimos se animes são ou não para adultos. Ela foi postada no Finis Geekis e contou com a participação do Vinícius, do próprio Finis Geekis, do Fábio, do Anime 21, do Vítor, do Otaku Pós-Moderno, e, obviamente, a minha. E eis que agora saiu a parte dois desse debate. E desta vez, juntam-se a nós também o Cat, do Dissidência Pop, e o Kouichi, do Animes Tebane. Abaixo, você confere um pequeno trecho de como foi a discussão, no caso um excerto de uma fala minha:

“Recentemente, eu terminei de ler o livro Quadrinhos – História Moderna de uma Arte Global, que faz uma espécie de panorama dos principais movimentos e artistas relacionados aos quadrinhos da década de 60 até a atualidade.

Uma coisa interessante nele é que se você olhar bem a partir das décadas de 60 e 70 você tem quase que um movimento mundial de surgimento de quadrinhos “adultos” (é quando temos, por exemplo, o underground americano, com quadrinhos que retratam sexo, consumo de drogas e por ai vai)”

Curtiu? Quer ver mais? Então clique aqui para ver o debate.

Imagem: Joker Game, episódio 1

Animes são uma mídia para adultos? (Uma colaboração da Blogosfera Otaku BR)

Joker Game // Debate 08/07/2016 1

“Acho que no mundo inteiro temos essa noção de que “desenhos são para crianças”, e com a quantia brutalmente maior de obras em animação saindo para esse público do que para qualquer outro, acho que é difícil não haver, nas pessoas, pelo menos uma noção de que a maioria das animações é mesmo para crianças.

Isso dito, eu acho que não podemos tratar os animes da mesma forma que tratamos, digamos, os desenhos americanos. Porque a animação japonesa é quase que uma mídia própria, por assim dizer. E dentro dessa mídia você vai, sim, ter os animes mais voltados para crianças e adolescentes, como Naruto, Dragon Ball, One Piece, Death Note e por ai vai.”

O que você confere acima é um pequeno trecho de uma fala minha para o artigo Os animes são uma mídia para adultos?, que o leitor pode conferir na íntegra lá no Finis Geekis. O artigo é o resultado de um divertido e interessante debate com alguns dos membros da Blogosfera Otaku BR. Nessa primeira parte, você confere as opiniões do Vinícios, do Finis Geekis e anfitrião de todo o debate, do Fábio, do blog Anime 21, do Vitor, do Otaku Pós-Moderno, e, claro, as minhas próprias. Então passe lá e confira. Vale a pena o/

Imagem: Joker Game, episódio 12