Retrospectiva 2019: Um Ano “Ok”


Foi bom. Só não foi ótimo.


Com 2020 dando agora seus primeiros passos, acho que não há momento melhor do que o agora para olharmos para trás e lembrar o que 2019 nos trouxe – de bom e de nem tão bom assim.

Esse quadro já é tradição aqui no blog, então não vou me alongar muito em introduções (é uma retrospectiva, de que mais introdução você precisa?!). Só deixo o costumeiro aviso de que, em artigos do tipo, eu só posso falar pela minha experiência. Muitos animes tiveram de ficar de fora, a maioria deles pelo simples fato de eu não os ter assistido.

Dos que eu vi, estes foram os que mais saltaram aos meus olhos. E se tiver de ser honesto, eu diria que 2019 foi um ano esquisito: vários bons animes, mas praticamente nenhum que eu colocaria como algum novo favorito pessoal, como bem pude fazer com Yuru Camp e Sora Yori em 2018. Foi um ano “ok”, mas espero que 2020 consiga ser ainda melhor.

E sem mais delongas, vamos logo às categorias – e às entradas!

As Decepções do Ano

Se 2019 não me trouxe nenhum novo favorito, ele me trouxe sim alguns desgostos. Nenhum ao nível das decepções que tive em 2017, a primeira vez que essa categoria apareceu nessas minhas retrospectivas, mas ainda houve alguns animes que eu só poderia classificar como puro potencial desperdiçado. Estes são dois deles.


One Punch Man 2

Vamos ser sinceros: ninguém esperava que essa segunda temporada de One Punch Man seria boa. Com o anúncio de que ela viria por outro estúdio, e depois então com os primeiros trailers, todo mundo foi pra ela já esperando uma bomba. E… ok, pra ser justo, “bomba” talvez não seja a melhor palavra. Mas foi, sem sombra de dúvidas, um produto inferior à primeira temporada, em todos os sentidos possíveis. Técnicos, sim, ainda que eu chamaria a animação aqui muito mais de “média” do que realmente de “ruim”. Mas a verdade é que a história também não ajuda. E quando parece que ela vai engatar, o anime termina num clifhanger. Pra fazer uma segunda temporada assim era melhor nem ter feito.

Carole & Tuesday

Eu não odiei Carole & Tueaday, e espero ter deixado isso claro quando comentei sobre a série em textos passados. Mas estaria mentindo se não dissesse que me desapontei bastante com o resultado final. O primeiro cour prometia tanto… Este bem poderia ter sido não só um dos melhores animes do ano, mas talvez mesmo um dos melhores da década. Mas ai veio segundo cour e eis que a série falha em entregar quase tudo do que prometeu. De plot points jogados a temas mal explorados a um final que soa forçado tanto quanto desnecessário. Sim, as músicas são ótimas, e eu ainda vou ouvi-las por um bom tempo. Mas ah se esse anime não podia ter sido melhor…

Continuações, Remakes, Etc.

Acho que já estamos tão concentrados nas várias continuações que 2020 irá nos trazer que nós meio que esquecemos que 2019 foi um ano incrível para continuações, reboots e remakes. Sinceramente, foi difícil escolher só alguns para essa lista. Dentre os que vi, porém, eu deixo estes como os mais notórios. Quais vocês acrescentariam?


Boogiepop wa Warawanai

Boogiepop não é só mais uma série de light novels: ela é, diriam alguns, a série de light novels, aquela que literalmente fez nascer esse gênero. E que segue firme e forte até hoje, 20 anos desde a publicação de seu primeiro volume.

É justamente em comemoração a esses 20 anos que tivemos essa nova adaptação da franquia, Boogiepop wa Warawanai. Uma história que só posso descrever como uma fantasia urbana, numa cidade onde eventos misteriosos parecem confluir para essa curiosa figura que é a Boogiepop.

É um anime que acabou meio esquecido depois da sua temporada, o que é uma pena. O universo de Boogiepop é fascinante, e sua narrativa fragmentada é uma que te deixa sempre querendo saber mais. Ah, e a sua abertura tem que ser uma das melhores do ano!

Dororo

Muitos talvez não saibam, mas Dororo não foi a primeira adaptação do clássico mangá de Osamu Tezuka. Na verdade, a primeira veio quase que junto do mangá, em 1969, pelo estúdio do próprio Tezuka, sendo intitulada Dororo to Hyakkimaru.

Nessa que é uma das histórias ligeiramente mais sombrias do “Deus do Mangá”, Hyakkimaru teve seu corpo vendido aos demônios por seu pai quando ainda bebê, e agora precisa encontrar e eliminar esses demônios a fim de recobrar a sua humanidade.

O anime mais recente fez diversas alterações na história, mantendo mesmo somente a premissa e alguns dos arcos do mangá original. E, pessoalmente, eu diria que fez bem. Eu não amei Dororo da forma que algumas pessoas parecem ter, mas ainda gostei bastante da obra.

Boku no Hero Academia season 4

Passados os remakes e reboots que o ano nos trouxe, entremos agora nas efetivas continuações! E é: acho que todos podemos concordar que uma lista do tipo não estaria completa sem um dos grandes títulos da atualidade: Boku no Hero Academia.

Não sei se há muito que eu possa falar aqui: é a quarta temporada de Boku no Hero, afinal. Se você gosta da franquia já deve estar assistindo, e se não já deve ter dropado algumas temporadas atrás. Fora que o anime nem terminou ainda, com seu segundo cour entrando em 2020…

Acho que vou então só apontar que é mais Boku no Hero Academia, com muito das lutas, personagens e poderes que nos fizeram adorar essa série em primeiro lugar. Me divirto bastante com a obra e vou continuar enquanto ela estiver no ar!

Mob Psycho 100 season 2

E finalizando as continuações de destaque deste ano, é lógico que não poderia faltar aqui a segunda temporada de Mob Psycho 100 – certamente um dos melhores animes do ano e forte candidato a ser um dos melhores da década.

Mob Psycho 100 é um desses raros casos onde forma e conteúdo se destacam por igual. Sua animação segue extremamente fluida e imaginativa, de longe uma das melhores do ano, mas essa é também uma história tematicamente muito rica.

Acho que posso dizer que essa segunda temporada pega os temas que a primeira construiu e os eleva à máxima potência. Sinceramente: se existe algum anime que mereça o título de “clássico moderno”, Mob Psycho 100 é com certeza um exemplo do tipo.

Os Mais Populares

Esta sempre será a categoria mais difícil de escrever, pelo menos pra mim. Vivemos um momento tão fragmentado que encontramos até nichos dentro de nichos. Não é porque um anime foi super comentado nos ambientes que eu frequento que ele foi popular também em outros, e eu sei muito bem disso. Ainda assim, e dentro da minha experiência, aqui quatro dos títulos mais populares do ano que fizeram por merecer a fama que conquistaram.


Kaguya-sama wa Kokurasetai: Tensai-tachi no Renai Zunousen

2019 foi, pelo menos pra mim, o ano da JUMP, tanto que das quatro entradas nessa categoria, três são adaptações de mangás da Shounen JUMP. Começamos, porém, com Kaguya-sama, adaptação do mangá homônimo seriado na Young JUMP. Uma divertidíssima comédia romântica sobre dois adolescentes que se amam, mas são orgulhosos demais para admitir, é um anime que eu colocaria fácil entre as minhas comédias favoritas dessa mídia. E que venha logo a segunda temporada!

Yakusoku no Neverland

E aqui o anime que a sinopse já é um spoiler. E um que não poderia ser mais diferente da entrada anterior. Uma história de suspense e horror, ligeiramente perturbadora graças não apenas à situação nas quais os personagens se encontram, mas também pelo fato de serem crianças tendo de sobreviver num mundo que parece querer justamente o contrário. Um anime que vai te manter tenso do começo ao final, é outra série que eu aguardo ansiosamente a segunda temporada.

Dr. Stone

E agora para o título que dividiu opiniões em 2019. Minhas inclusive, até. Eu tenho algumas críticas à série, mas ao mesmo tempo eu também tenho diversos elogios. É um anime que eu sinceramente não esperava gostar o quanto gostei, mas essa história sobre um adolescente super gênio tendo de reconstruir a civilização após um cataclismo global que petrificou a humanidade me divertiu e empolgou como poucos animes esse ano conseguiram. É um bom battle shounen, mais voltado para a comédia, é verdade, mas ainda muito gostoso de assistir. E que venha Stone Wars!

Kimetsu no Yaiba

E terminamos com o anime que foi a sensação do ano. Se Dr. Stone é um battle shounen mais voltado para a comédia, Kimetsu no Yaiba é um que leva bem mais a sério o “battle” na descrição do gênero, mesmo que também tendo lá os seus momentos mais cômicos. Muito bem dirigido, mas acima disso muitíssimo bem animado, com uma ótima integração do CG nos cenários para criar ali a sensação de profundidade. Sem mencionar, claro, um elenco bastante carismático, com destaque indo para o protagonista, Tanjirou, e sua fofa irmãzinha demônio, Nezuko. E claro: mal posso esperar para o filme!

As Surpresas do Ano

Originalmente, eu incluía nas minhas retrospectivas uma seção de “pérolas perdidas” do ano. Mas por tudo que já expliquei na introdução da categoria anterior, eu não me sinto lá muito confortável de fazer o mesmo este ano. Então, ao invés disso, aqui alguns dos títulos que mais me surpreenderam em 2019, entre ignorados por todos e populares-mas-não-o-bastante.


Doukyonin wa Hiza, Tokidoki, Atama no Ue

Um escritor (quase) recluso que, por uma série de circunstâncias, acaba por adotar uma gatinha de rua. Wholesome ensues!

Como bom amante de gatos que sou, a premissa de Doukyonin wa Hisa já foi mais que suficiente para me convencer a conferir o anime, e devo dizer que em nada me arrependi. É um ótimo slice of life, divertido e tocante da medida certa.

Seu maior charme talvez seja como um mesmo episódio alterna entre a perspectiva do protagonista e aquela da gatinha, mostrando como cada um enxerga a mesma série de eventos. É um anime que realmente me surpreendeu, e que eu não poderia recomendar o bastante!

Hitoribocchi no Maru Maru Seikatsu

Não esqueçam da Bocchi! 2019 não foi lá o melhor ano para o slice of life, pelo menos em sua vertente “garotas fofinhas”, mas ao menos tivemos Hitoribocchi!

Na história, Bocchi recebe um ultimato de sua velha amiga de infância, Kai: agora que as duas vão para escolas diferentes, Bocchi precisa fazer amizade com todas da sua sala, ou então Kai irá parar de falar com ela. Akwardness ensues!

Com altos níveis de fobia social, essa é uma tarefa e tanto para a Bocchi, que ainda assim tenta dar o seu melhor. Com um elenco carismático de personagens, é um anime bem gostoso de assistir, que se sustenta sobretudo em seu ótimo timing cômico.

Senryuu Shoujo

Uma garota que só “fala” através de senryuu – um típico poema japonês de tamanho bem curtinho. É só isso a premissa do anime. E ele é ótimo!

Nessa divertida comédia romântica, acompanhamos o dia a dia de Nanako, membro do clube de literatura de sua escola e com uma ligeira queda por um outro membro do mesmo clube: o delinquente juvenil Busujima Eiji.

Com apenas 12 minutos por episódio, Senryuu Shoujo fica como uma das poucas efetivas pérolas perdidas desse ano: uma série charmosa e hilária na medida certa, que passou fora dos radares de muita gente. Quem não conhece, fica ai a recomendação.

Mayonaka no Occult Koumuin

E falando em pérolas perdidas… Eu imagino que muita gente ignorou Mayonaka no Occult Koumuin pelo claro apelo fujoshi que a obra tem, mas quem o fez perdeu uma ótima série.

Aqui acompanhamos uma equipe de servidores públicos encarregados de manter boas relações entre os humanos e Another – criaturas fantásticas e mitológicas invisíveis aos olhos comuns. E recém-admitido na equipe está Arata.

O que torna Mayonaka tão fascinante é o poder do Arata: a capacidade de se comunicar com os Another. É um cenário que cria um choque cultural bem forte, e mesmo posa a questão de que, talvez, conseguir se comunicar não seja o mesmo que se fazer entender.

Machikado Mazoku

Eis que num belo dia a adolescente Yuko acorda e descobre ter chifrinhos e um rabinho de demônio. E tudo mundo parece bem “ok” com isso.

Ao se descobrir descendente de um longevo clã demoníaco, Yuko é encarregada de matar uma garota mágica a fim de livrar seu clã de uma antiga maldição. O problema é que não só a tal garota mágica é ridiculamente forte, como ela também parece interessada em apoiar a Yuko.

Se Kaguya-sama foi minha comédia favorita do ano, Machikado Mazoku vem logo atrás. Um elenco interessante de personagens e um excelente timing cômico fazem desse recomendação óbvia para os fãs do gênero. Mas bem que podia ter outra temporada, né…

Fairy Gone

Outro anime bastante ignorado, Fairy Gone é um título que me ganhou pelo estilo, pela trilha sonora, e pelo worldbilding.

A história é difícil de resumir em poucas linhas, mas tudo começa quando nossa protagonista, Marlya, é possuída por uma fada, sendo convidada então a se juntar à organização governamental Dorotea, que lida justamente com crimes cometidos por aqueles envolvidos com essas criaturas.

O que segue é uma história repleta de reviravoltas, conforme Marlya segue em seu objetivo final de tentar reencontrar sua velha amiga de infância e única outra sobrevivente da vila em que moravam. Um anime bem divertido, que merecia um pouquinho mais de atenção.

Vinland Saga

Como fã do mangá há já algum tempo, a adaptação em anime de Vinland Saga é uma que eu esperava com um misto de ansiedade e apreensão.

Se passando durante a invasão normanda à Inglaterra no século XI, esta é uma história de brutalidade e violência, mas também sobre redenção e sobre a busca por um destino melhor. E fico bastante satisfeito de ver o anime perfeitamente entende sobre o que é Vinland Saga.

É o tipo de história que você começa a ver pela promessa de lutas legais (o que o anime certamente tem), mas que você segue assistindo muito mais por conta do que a obra tem a dizer. Uma série fascinante, e facilmente um dos melhores animes de 2019.

Honzuki GekokujouShisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen

E finalizamos a seção com o título que superou todas as minhas expectativas. Uma divertida e tocante história que eu mal posso esperar para ver com continua.

Aqui, a recém-formada bibliotecária Urano morre e reencarna no corpo de uma criança de cinco anos em um mundo de fantasia medieval. Sem livros pra ler, dado o preço deles nesse mundo, a garota então decide que fará os seus próprios, custe o que custar!

O que começou como um slice of life de fantasia logo se converteu numa história tocante e divertida com um fantástico elenco de personagens, um bom worldbilding, e disposição a tocar em tópicos que eu não esperava de um isekai do tipo.

Meu anime favorito da temporada de outono, e um dos meus prediletos do ano. E que venha logo a segunda temporada!

E Para além de 2019?

E como é de praxe, nem só de temporada vive um otaku. Em retrospecto eu inclusive gostaria de ter visto mais animes já finalizados do que consegui assistir, mas oh bem, sempre tem o ano que vem. Por agora, aqui os três títulos de anos passados que só agora eu pude ver – e muito apreciar.


Bartender

Bartender é um anime que estava pegando pó na minha plan to watch há já um bom tempo, e que só saiu dela graças a ser um dos animes que assistimos no Clube do Anime, lá no Discord. E como valeu a pena a experiência!

Em premissa o título é bem simples: um bar ao qual as pessoas vão para afogar as mágoas e um bartender que sempre lhes dá exatamente a bebida de que mais precisam. O destaque, por isso, fica por conta da execução e da apresentação.

Em execução, cada cliente abre a possibilidade de se abordar um novo tema, conforme precisam lidar com os problemas que os levaram até o bar em primeiro ligar. E em apresentação, cada episódio é bastante único em direção e visual, resultando num anime fascinante de se assistir.

Acho que da pra classificar Bartender tanto como um anime gourmet (a degustação de cada bebida é bem importante aqui, afinal) quanto como um iyashikei. Não é um título que vai agradar a todos, mas ainda é um que vale a pena pelo menos dar uma conferida.

Sketchbook Full Color’s

Eis aqui um título do qual eu não sabia nada a respeito – e que em parte eu fui ver exatamente por isso, quando estava procurando por algum iyashikei para assistir. E que surpresa que foi essa série, que termina como uma das melhores que vi este ano.

Na história, nós acompanhamos o dia a dia de Sora, uma garota extremamente tímida que sempre carrega consigo um caderno para desenhos. Quieta, ela é também bastante observadora – er… quando lhe convém, pelo menos.

Juntando-se à nossa protagonista temos todo o elenco do clube de artes de sua escola – um surpreendentemente vasto para uma série do tipo, cada qual com sua própria personalidade, gostos, desejos, atitudes e por ai vai.

Acho que a melhor forma que eu tenho de descrever Sketchbook é se você junta a calma atmosfera de algo como Yuru Camp com a excentricidade dos personagens de algo como Azumanga Dai Oh. É uma história que irá te fazer rir, não poucas vezes, mas que também serve e muito para relaxar.

Tamayura

Fechando então essa retrospectiva, temos aquele que eu consideraria o melhor anime que eu assisti em 2019. Um que, inclusive, ganhou não apenas uma review aqui no blog, como também uma indicação lá no canal! (shameless plug).

Na história, Sawatari Fuu retorna à cidade natal de seu pai, anos após a morte deste. Reatando velhas amizades e fazendo ainda outras novas, acompanhamos aqui o seu crescimento e desenvolvimento. Uma história divertida e tocante na medida certa.

Sim, é ainda outro iyashikei, mas com boas doses também de comédia e drama. É uma história cativante, que toca ainda em temas bastante espinhosos, como o luto e como as pessoas lidam com ele. O tipo de anime que te faz rir e chorar num mesmo episódio.

Parando pra notar, é engraçado que é o terceiro ano consecutivo que eu termino a retrospectiva com uma obra dirigida pelo Jun’ichi Satou. Em 2017 foi Aria, e em 2018 foi Princess Tutu. Me pergunto se repetirei a dose ao final deste ano…

Mas com isto nós vamos então ficando por aqui. 2020 já começou, e nesse ponto só nos resta torcer para que seja um bom ano. Não estou lá muito confiante, pra ser sincero, mas ei, sempre posso estar errado (e nesse ponto eu adoraria estar…). No mais, até uma próxima o/

Imagens (na ordem em que aparecem):

1 – Honzuki Gekokujou: Shisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen, episódio 2

2 – One Punch Man 2, episódio 1

3 – Carole & Tuesday, episódio 1

4 – Boogiepop wa Warawanai (2019), episódio 1

5 – Dororo, episódio 1

6 – Boku no Hero Academia season 4, episódio 1

7 – Mob Psycho 100 season 2, episódio 1

8 – Kaguya-sama wa Kokurasetai: Tensai-tachi no Renai Zunousen, episódio 1

9 – Yakusoku no Neverland, episódio 1

10 – Dr. Stone, episódio 1

11 – Kimetsu no Yaiba, episódio 1

12 – Doukyounin wa Hiza, Tokidoki, Atama no Ue, episódio 1

13 – Hitoribocchi no Maru Maru Seikatsu, episódio 1

14 – Senryuu Shoujo, episódio 1

15 – Mayonaka no Occult Koumuin, episódio 1

16 – Machikado Mazoku, episódio 1

17 – Fairy Gone, episódio 1

18 – Vinland Saga, episódio 3

19 – Honzuki Gekokujou: Shisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen, episódio 1

20 – Bartender, episódio 1

21 – Sketchbook Full Color’s, episódio 1

22 – Tamayura ~Hitotose~, episódio 1

4 comentários sobre “Retrospectiva 2019: Um Ano “Ok”

  1. Em fairy gone só presta a abertura, péssimo anime.

    Mas no geral, gostei desse ano de 2019, principalmente por ter conhecido uma obra como vinland saga que entrou no meu top de animes favoritos.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Achei 2019 um ótimo ano para os animes. Melhor que 2018 na minha opinião. Certamente foi um grande ano para a Shounen Jump, com Neverland, Dr. Stone, Kimetsu no Yaiba (anime do ano) e We Never Learn ganhando suas estreias. Kaguya-sama, da Young Jump, e não da Shounen Jump, também se mostrou como uma grande obra de comédia e romance. Eu, que acompanho esse maravilhoso manga, recomendo muito as próximas temporadas, pois a obra só melhora. Além dessas, tivemos ótimos animes novos, como Vinland Saga, Beastars, Honzuki no Gekokujou, Araburu, Hoshiai no Sora (uma pena que não o finalizaram direito), Fruits Basket, Kono Oto Tomare e Dororo. Que 2020 seja ainda melhor.

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s