10 Animes de Destaque da Temporada de Outono / 2019


E lá se foi mais uma temporada… Ah como o tempo voa!


Ok, eu vou ser o primeiro a reconhecer que esse quadro realmente precisa de aprimoramentos. Eu já venho sentindo isso há um tempo, mas acho que nunca tão forte quanto eu senti nessa temporada. Porque, pra ser bem sincero, eu nem sei se é justo colocar o “destaques” ali no título.

Não que os animes que eu vá citar aqui sejam ruins, nem nada do tipo. Na verdade, alguns deles são muito bons, alguns dos melhores do ano até. Mas eu sinto que essa lista podia ser muito melhor. Há várias séries que eu deixei passar, e muitos dos que eu vi até o fim eu qualificaria muito mais como “ok” do que como um “destaque” propriamente dito.

Para 2020 eu definitivamente vou mudar um pouco o quadro. Por agora, porém, eu decidi fechar o ano no mesmo formato que começamos, ainda que deixando avisado que eu sei muito bem que está faltando bastante coisa aqui. E com isso, vamos então em frente.

.

10) Dr. Stone

Dr. Stone foi talvez uma das minhas maiores surpresas deste ano. Muito como eu fiz com Kimetsu no Yaiba uma temporada antes, eu fui para esse anime só por ser a adaptação de ainda outro título recente e muito bem falado da Shounen JUMP, e com essa primeira temporada finalizada e outra já anunciada eu posso dizer que em nada me arrependo.

É verdade que Dr. Stone não tem a melhor animação do ano, e mesmo em comparação a outras adaptações da JUMP nesse ano (como Kaguya-sama ou Yakusoku no Neverland) eu diria que ela está bem lá pra baixo. Mas o que falta em movimento o anime mais que compensa com uma boa direção e um excelente timing cômico.

Quanto a esse segundo cour em específico, eu só posso dizer que Dr. Stone se provou sempre um crescente. Desde que o Senku chega à vila nós vamos vendo toda sorte de novos personagens, cenários e invenções que empolgam mais e mais a cada novo (mini) arco. E para concluir: que Stone Wars chegue logo!

.

09) Vinland Saga

O primeiro cour de Vinland Saga estabeleceu o mundo, os personagens, e suas motivações. E é neste segundo cour que vemos como esses elementos conversam, conforme o bando do Askeladd se vê tendo de proteger ao príncipe herdeiro Canute do (compreensivelmente) assustador Thorkell. Ah, e o Thorfinn ainda está ali. É…

Eu cheguei a ver bastante gente comentando como o Thorfinn parece ter perdido o posto de “personagem principal” da série conforme a história foi avançando, e bem concordo. Só não acho que seja um problema. Mas é, isso eu falo com conhecimento do mangá, onde o Thorfinn se torna um personagem fantástico começando justamente no próximo arco.

Mas voltando ao anime, eu termino Vinland Saga bastante satisfeito. Foi uma adaptação digna, com alguns tropeços aqui ou ali, mas num geral ainda uma experiência que valeu muito a pena. Muito bem animado, muito bem dirigido, com belíssimos cenários e uma excelente trilha sonora. Agora é cruzar os dedos e torcer por uma segunda temporada!

.

08) Boku no Hero Academia season 4

Parando agora pra pensar, acho que minha opinião sobre Boku no Hero Academia se mantém essencialmente a mesma desde a primeira temporada. Um bom battle shounen que, ainda que seja de fato bastante clichê, executa com tamanha maestria a sua fórmula que consegue me encantar e divertir a cada episódio que passa.

Nessa quarta temporada temos – pelo menos até o momento – o arco do resgate à Eri e a luta contra o Overhaul. É difícil falar mais do que isso sem acabar dando spoiler, então vou só dizer que Boku no Hero segue pelo exato caminho que fez com que gostássemos dessa história em primeiro lugar. Bons personagens, boa animação, boas lutas… como disse: um battle shounen bem feito.

Imagino que recomendar o anime nesse ponto é desnecessário: se você gosta de Boku no Hero provavelmente já está assistindo, ao passo que se não gosta, provavelmente já largou mão do anime há um tempo (esta é a quarta temporada, afinal). Então vou só finalizar dizendo que mal posso esperar para ver que direções essa história irá tomar daqui pra frente.

.

07) Sword Art Online Alicization: War of The Underworld

Primeiro cour da segunda parte da terceira temporada de Sword Art Online… É isso mesmo? E só volta em abril? Bom… Então tá, né… Pelo menos eu posso dizer que o que ganhamos até o momento bem tem feito valer a espera. War of The Underworld faz jus ao nome, entregando a grande guerra que vinha sendo prometida desde meados da primeira parte de Alicization.

Agora, cabe apontar que ainda é Sword Art Online. E muito como Boku no Hero, eu imagino que os fãs já estão assistindo, enquanto que os haters já devem ter largado mão da série há um bom tempo. Mas falando por mim, esse arco segue bem divertido de assistir. Ter o Kirito fora de cena por um tempo dá uma dinâmica legal à trama, e a animação vem sendo um verdadeiro deleite.

Se fosse pra apontar defeito, eu só diria que me incomoda como muitas das informações e motivações dos personagens que a novel explica na forma de monólogos internos ou explanações do narrador são cortados aqui, criando cenários que fazem bem pouco sentido pra quem só vê o anime. Ou seja: o mesmo problema que SAO tem desde o seu primeiro episódio.

.

06) Ginga Eiyuu Densetsu: Die Neue These – Seiran

Você sabia que a segunda temporada do reboot de Ginga Eiyuu Densetsu estava saindo nesta temporada? Se a resposta for “não”, eu não te culpo. Esse anime deve ter tido uma das distribuições mais bizarras que eu já vi, onde os efetivos 12 episódios da série foram compilados em 3 “filmes” lançados nos cinemas japoneses.

Claro que, para nós, os 12 episódios vieram exatamente assim: como 12 episódios, lançados um por semana na Crunchyroll. E talvez por esse sistema bizarro de distribuição pouca gente por aqui parecia sequer saber da existência dessa série, o que é uma pena. Ainda que eu sempre vá preferir o primeiro anime, o reboot tem lá o seu charme, e merecia um tratamento mais decente.

Em termos de história, ela continua exatamente de onde a primeira temporada parou. Tenham em mente que essa é a parte mais fraca de Ginga Eiyuu Densetsu, ainda que já aqui possamos ver muitas de suas qualidades. Mas eu me pergunto se a Production I.G. tem pretensão de adaptar a história inteira. Seria uma pena parar antes mesmo de chegar na “parte boa”.

.

05) Fairy Gone Season 2

E terminando com as continuações de séries passadas, eis que nesta temporada tivemos também o segundo cour de Fairy Gone, essa fascinante história sobre soldados possuídos por fadas num país recém saído de uma sangrenta guerra de unificação, sustentado agora em uma paz frágil que a todo momento ameaça se quebrar.

É difícil falar desse segundo cour em específico sem dar spoilers. Fairy Gone é bastante centrado em sua história, com reviravoltas a todo momento, o que não deixa de ser um de seus atrativos. Junto, diria, com um elenco carismático de personagens, um bom uso da computação gráfica (fuck you, fight me!) e uma excelente trilha sonora.

Infelizmente, o título não é sem defeitos. Sua animação não é sempre consistente. Seus twists nem sempre fazem lá muito sentido. E num todo é uma série que diverte muito mais do que marca. Não me arrependo nem um pouco do tempo que passei com o anime, mas não acho que lembrarei dele em alguns meses. Oh bem, faz parte.

.

04) Houkago Saikoro Club

E finalmente chegamos aos animes inéditos da temporada! Eu só gostaria que fosse com uma entrada melhor… Não que Houkago Saikoro Club seja ruim, exatamente, ele só não chega a ser o melhor de seu gênero – nem de longe. É, 2019 não foi um ano lá muito bom para os fãs do gênero “garotas fofinhas fazendo coisas fofinhas”.

A premissa de Houkago Saikoro Club é a de um grupo de três – e depois quatro – garotas que passam a tarde jogando jogos de tabuleiro. Pode parecer como todos os outros animes “de clube” que você já viu, mas esse aqui tem lá algumas peculiaridades. Por exemplo, um foco ligeiramente maior no drama das personagens, ainda que esta seja também a parte mais fraca da série (ei, ao menos tentaram, eu acho…)

As garotas em si são carismáticas a seu modo, a protagonista, Miki, sendo a encarnação 2D de “must protecc”. E é legal como o anime usa de jogos reais, me deixando com bastante vontade de tentar alguns deles. Não me arrependo do tempo que passei com essa série, mas é, podia ter sido bem melhor…

.

03) Watashi, Nouryoku wa Heikinchi de tte Itta yo ne!

E falando em “podia ter sido bem melhor”… Bom, acho que eu não posso ser lá tão duro com esse anime porque, no fim das contas, eu me diverti bastante com ele. Isekai com uma protagonista over power que só queria levar uma vida normal, o foco aqui está na comédia, algo que o anime faz até que muito bem.

O uso constante de referências à cultura otaku por parte da Miles, a protagonista, é também legal de ver, e “pegar a referência” pode constituir uma parte considerável do aproveitamento da série. Eu só sinto que o ritmo dele é o maior problema. Longos arcos são seguidos de episódios isolados, e dramas pessoais são resolvidos em minutos. É… estranho, pra dizer o mínimo.

Acho que o mais trágico aqui é que, ao que dizem os fãs da light novel original, Noukin (como a série é abreviada) não apenas cortou e simplificou muita coisa da novel, como ainda adicionou um bom tanto de filler que acrescenta bem pouco na experiência (tipo os 3 primeiros episódios). Fora um final que bem se resume a “vá ler a novel”. Talvez um dia.

.

02) No Guns Life

No Guns Life é um título estranho – para o bem e para o mal. Aqui acompanhamos o extended Inui Juuzo, nosso protagonista com uma arma no lugar da cabeça e que é chamado para lidar com toda sorte de problemas causados por outros extended. Uma divertida ficção científica com boas doses de ação e humor.

Mas se eu digo que esse anime é “estranho” é porque ele quase soa um anacronismo ambulante. Ele parece algo saído dos anos 80, o que não é necessariamente ruim. Na verdade, para quem sente falta de animes nesse estilo, No Guns Life pode mesmo vir como uma brisa de ar fresco numa mídia que, sim, parece ter deixado suas origens na ficção científica lá no passado.

O problema é que, tirando a boa animação e a adição do humor, No Guns Life se distingue bem pouco dessas séries dos anos 80. Ainda que divertido, sua história soa como um cyberpunk genérico, o que pelo menos pra mim torna anime ligeiramente mais esquecível do que ele poderia ter sido. Bom, mas talvez a segunda temporada mude a minha opinião. Quem sabe, não é?

.

01) Honzuki Gekokujou: Shisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen

Se eu for ser honesto, eu acho que Honziku Gekokujou foi o único estreante dessa temporada que eu genuinamente gostei. Não me entendam mal: todos os que mencionei aqui são séries que eu me diverti vendo e não me arrependo do tempo que passei com elas. Mas Honzuki é um que eu posso elogiar sem ter de incluir ai uma série de “poréns”.

Isekai de uma recém-formada bibliotecária que morre e reencarna num mundo medieval onde livros são um luxo para poucos, essa é uma série que começou bem e só foi melhorando a cada episódio. Uma obra que mescla slice of life, drama, fantasia, suspense e mesmo um pouquinho de comédia, há algo aqui para todo mundo. Um bom exemplo de como isekai podem ser bons.

Acho que se eu tivesse de fazer alguma crítica ao anime seria que falta “impacto” no seu visual. Ele não chega a ser genérico, mas também não é realmente marcante (ainda que daria pra argumentar que esse é o ponto, ao menos em parte). Ainda assim, isso é só um detalhe. E que chegue logo a segunda temporada!

Imagens (na ordem em que aparecem):

1 – Watashi, Nouryoku wa Heikinchi de tte Itta yo ne!, episódio 1

2 – Dr. Stone, episódio 24

3 – Vinland Saga, episódio 24

4 – Boku no Hero Academia season 4, episódio 1

5 – Sword Art Online Alicization: War of the Underworld, episódio 1

6 – Ginga Eiyuu Densetsu: Die Neue These – Seiran, episódio 1

7 – Fairy Gone season 2, episódio 1

8 – Houkago Saikoro Club, episódio 1

9 – Watashi, Nouryoku wa Heikinchi de tte Itta yo ne!, episódio 1

10 – No Guns Life, episódio 1

11 – Honzuki Gekokujou: Shisho ni Naru Tame ni wa Shudan wo Erandeiraremasen, episódio 1

2 comentários sobre “10 Animes de Destaque da Temporada de Outono / 2019

  1. E desejando um Feliz 2020 e melhoras para sua pessoa. Falando um pouquinho desta temporada, esta que me pôs a acompanhar semanais com mais atenção, me surpreendi com os animes que pareciam que iam ter mais episódios e terminaram em sua metade para a outra parte pro ano seguinte, de resto, não posso reclamar de nada.

    Dos citados desta lista e seguindo a ordem, “Dr. Stone” foi muito bom, gostei da dinâmica e de ter sido “diferente” das obras comuns da Jump, me diverti e curti mais seu andamento do que “Kimetsu no Yaiba”, que achei apenas bom no que faz e com sua animação acima da média, bom que teremos segunda temporada. Imagina a raiva do pessoal que curtiu Kimetsu que ter somente um filme, enquanto nosso Doutor Pedra teve anúncio de nova temporada.

    “Vinland Saga” dá pra colocar como um dos melhores animes de 2019 fácil, fácil, gostei muito da maneira que a produção foi estruturando sua trama, bem melhor que “Mahoutsukai no Yome”, senti mais próxima dos personagens e história, claro!, Askeladd um dos melhores personagens do ano, realmente tocou o destino dele no final do anime.

    Já “Honzuki Gekokujou” surpreendeu, já tinha escolhido este e “Mairimashita! Iruma-kun” pra assistir sem medo e não me arrependo de nenhum deles. Voltando para Myne e companhia, amei a trama e andamento, o traço achei ele ok!, nada estupendo ou incomum, me lembrei de animes dos anos 2000 que tinham estética semelhante; curti muito a protagonista e seu objetivo, o bom é ver que ela mesma passa a dar valor para as pessoas, principalmente com a família, tornando sua nova vida mais cheia de cores. Bom que teremos mais, porque quero ver mais este universo e personagens interagindo.

    De resto, “Gundam Build Divers: RE Rise” (com a segunda metade já confirmada); a terceira temporada de “Ani ni Tsukeru Kusuri wa Nai!” ; segundo anime do “Bananya” e “Beastars” deram seus ares de graça e merecem, cada um seus destaques.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Feliz ano novo ae. Essa temporada de outubro foi uma boa temporada, que teve animes dos quais eu gostei bastante. Bom, fica a recomendação para você de assistir Beastars e Hoshiai no Sora, que foram, junto com Honzuki no Gekokujou, as melhores estreias da temporada na minha opinião.
    Gostei muito também de Dr. Stone e Vinland Saga. Dr. Stone não é tão bom quanto Kimetsu no Yaiba, mas é um ótimo anime shounen. Vinland Saga foi uma novidade pra mim, que não tinha lido nada do mangá, então me surpreendi muito com a história e gostei muito dela.
    Agora, eu achei que Boku no Hero decaiu muito, pelo menos nesse atual arco. O arco não inovou em quase nada e não é interessante, além do ritmo do anime estar muito lento nos primeiros episódios. Me decepcionei com a primeira metade.
    Deixando o melhor pro final, digo que Chihayafuru voltou com força total. Grande anime, grandes personagens, grandes desenvolvimentos. Uma pena que o anime é pouco conhecido, já que suas prequelas foram lançadas há quase 6 anos.
    Outubro/2019 foi uma grande temporada. Que as próximas de 2020 sejam melhores.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s