[Vídeo] Lidando com as Frustrações da Vida Adulta | Shirobako & Sakura Quest


Expectativa Vs. Realidade


Roteiro:

Shirobako e Sakura Quest. Dois animes do estúdio PA Works, um reconhecidamente bem mais popular do que o outro, eu acho interessante como, partindo de cenários bem diferentes, ambos os títulos exploram em grande parte os mesmos temas, mas, ainda assim, chegam a conclusões praticamente opostas.

Vamos começar com Shirobako, o mais popular dentre os dois e também o primeiro em ordem cronológica. Nessa história, nós acompanhamos a jornada de cinco garotas que, tendo prometido umas às outras ainda no ensino médio que um dia fariam um anime juntas, dão agora seus primeiros passos nessa indústria.

Produção, animação, dublagem, cada garota almeja uma área de atuação diferente, e graças a isso o anime consegue retratar, de uma forma bastante dramatizada, um pouco dos meandros de como são feitos os animes – motivo pelo qual, aliás, ele se tornou mais conhecido. Só que Shirobako não é realmente uma história sobre anime, ou sobre essa indústria.

Tematicamente, essa é muito mais uma história sobre, conforme adentram no mercado de trabalho, essas garotas precisam confrontar as expectativas da infância com a realidade da vida adulta, no processo muitas vezes se perguntando se o caminho que escolheram para si era de fato o ideal.

Algumas, como a Aoi e a Misa, questionam os próprios objetivos e se onde estão atualmente é mesmo onde gostariam de estar. Outras, como a Ema e a Shizuka, se questionam se são de fato boas o bastante para as posições que almejam. É isso que faz com que boa parte de Shirobako tenha um clima um tanto quanto melancólico, com as garotas passando por um processo de desencantamento dos sonhos de outrora e a consequente crise existencial que isso trás.

Mantenham isso em mente enquanto mudamos um pouco de título, nos voltando agora para Sakura Quest.

Aqui, nossa história começa quando Koharu Yoshino, que deixou a vida no campo para tentar a sorte na cidade grande e agora se encontra desempregada, recebe uma proposta de trabalho temporário como “Rainha do Reino de Chupa Cabra”, atração turística decadente da cidadezinha interiorana Manoyama. Muito a contragosto a garota aceita, se tornando efetivamente parte do ministério do turismo daquela cidade.

Só que assim como Shirobako não é sobre anime, Sakura Quest não é exatamente sobre turismo.

Mais uma vez, vemos aqui o tema do desencantamento, aqui no caso um desencantamento para com a grande cidade. Yoshino via Tóquio como esse grande centro urbano cheio de oportunidades, mas não conseguiu encontrar ali um lugar para si. Maki, natural de Manoyama, mas que deixou a cidade para tentar uma carreira de atriz um Tóquio, retorna para onde nasceu porque não conseguiu fazer carreira na cidade grande. E Sanae vem à Manoyama praticamente fugindo de Tóquio, quando se dá conta do quão substituível ela era em seu antigo trabalho.

De novo, o que encontramos aqui é uma forte dissonância entre expectativa e realidade. Ambos os animes são obras que, ao se focarem em jovens adultas no começo de suas carreiras, lidam com a pergunta do como encontrar o nosso lugar na sociedade, especialmente quando a realidade concreta se mostra diferente dos nossos sonhos. Nesse sentido essas são obras muito semelhantes. Mas, como eu disse no começo do vídeo, as conclusões às quais elas chegam são bem diferentes.

Shirobako é uma história sobre perseverança, uma que em última instância valida a ideia do sonho como algo que se vale a pena perseguir. Mesmo em meio a dúvidas e dificuldades, cada garota termina por reafirmar os próprios sonhos, e nisso persistem e se esforçam para atingi-los. Sakura Quest, por outro lado, é um pouco mais difícil de resumir em uma palavra, mas a essência dessa história está na premissa de que, às vezes, nossos sonhos não dão certo – e tudo bem.

Cada garota em Sakura Quest termina por encontrar, nesse um ano que passam juntas, um novo caminho para suas vidas. Um que é diferente daqueles que elas inicialmente desejavam, mas que nem por isso é menos válido ou menos satisfatório. Sonhos, aqui, são algo bem mais maleável, e a mensagem que fica é que diante de uma crise existencial vale a pena reconsiderar as próprias decisões. Uma porta se fecha, mas outra pode se abrir.

Diante da dificuldade e da incerteza, Shirobako diz que você deve insistir, enquanto que Sakura Quest diz que talvez valha a pena reconsiderar. São visões bastante diferentes de uma mesma problemática, e é o que me faz ver esses dois animes como curiosamente complementares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s