[Vídeo] Quanto Tempo Você Deve dar a Cada Anime?

 


E um pouquinho sobre a “regra dos três episódios”.


Roteiro:

Num espectro que vai daquelas pessoas que nunca dropam um anime que começam até aquelas que abandonam uma série nos primeiros minutos, onde você se colocaria?

Tempo é um recurso escasso. Mesmo irrecuperável. No Brasil, a expectativa de vida média é de 75 anos, o que dá em torno de 900 meses, ou 3900 semanas, ou pouco menos de 27400 dias.

Quando crianças nós não realmente temos consciência do quão pouco tempo é isso. Mas conforme os anos passam e você vai ficando mais velho. Conforme as responsabilidades vão aumentando e 24 horas em um dia já não parece o suficiente. Esses cinco números começam a pesar. Tempo gasto em uma coisa é tempo não gasto em outra. Quanto tempo você tem para gastar com algo que não goste?

Levada ao extremo, eu diria que esta é a lógica que produz as pessoas neste extremo do espectro. Se tempo é um recurso tão precioso assim, por que eu deveria dar mais do que cinco ou dez minutos a um anime que não me prendeu nesse tempo? Ou ainda: por que eu deveria sequer dar esses cinco ou dez minuto? A sinopse parece clichê, a arte do poster é feia, o estúdio não produz nada bom, a equipe por trás não é de confiança… Pra que perder o meu tempo?

Eu entendo quem pensa assim. Especialmente no cenário atual, onde saem centenas de animes por ano. Eu entendo… ao mesmo tempo que…

Bom… Vamos colocar desse modo: a pressa é uma presença constante na nossa sociedade. Não seria exagero dizer que nos tornamos obcecados com o tempo. Estamos constantemente correndo, constantemente reclamando de “perdas de tempo”, constantemente tentando manejar melhor nosso tempo, e constantemente nos sentindo culpados por não estarmos utilizando nosso tempo da melhor forma possível. Assistir um episódio inteiro de anime? Eu não tenho paciência pra esperar uma nova aba carregar.

É bom termos aqueles cinco dígitos em mente. A vida humana é finita, e faz sentido que uma realização do tipo nos faça querer tirar o máximo de proveito que pudermos dessa nossa curta estadia nesse mundo. Mas quanto nós controlamos nosso tempo e quanto nós somos controlados por ele?

Perder tempo… é mesmo algo tão ruim assim?

Quanto tempo você deve dedicar a um anime antes de abandoná-lo? Três episódios? Um? Metade? Alguns segundos? Ao mesmo tempo, há de se perguntar: por que é você quem precisa se comprometer? Se um anime não te agradou dentro de qualquer que seja o tempo que você decidiu dedicar a ele, que obrigação tem você de continuar assistindo? E obrigação para com quem? Os pixels na tela? A equipe de produção lá no Japão?

Se ainda não ficou claro, essa é uma questão complicada. Por um lado, tempo não se recupera. Por outro, andamos apressados demais para o nosso próprio bem. Por um lado, é injusto esperar que uma obra nos prenda em instantes. Por outro, quanto tempo você deve dedicar a algo que não gosta? Dependendo de qual lado desses debates você cai, é ai que você encontrará o seu lugar naquela escala.

Acho que é daí que surge a mítica “regra dos três episódios”. Um comprometimento pequeno o bastante para mitigar a sensação de perda de tempo, mas grande o bastante para você não sentir que está sendo injusto. Mas de novo: injusto com quem? De onde vem esse sentimento de que você tem algum tipo de dever para com uma obra de ficção?

Acho que cabe aqui algum contexto. Meu último vídeo aqui no canal foi o que eu só posso descrever como as minhas impressões iniciais sobre tate no yuusha no nariagari. Eu assisti metade do primeiro episódio, portanto em torno de 25 minutos, não gostei do que vi e fiz um vídeo comentando o porquê de eu ter dropado a série. E não sem surpresa houve quem criticasse falar sobre o anime tendo visto tão pouco dele.

O que é um pensamento muito complicado. E ao mesmo tempo que eu acho que ele explica de onde vem aquele sentimento de dever.

Vamos dar um passo pra trás, e reformular um pouco a questão. Ao invés de perguntarmos “quanto tempo você deve dar a um anime”, perguntemos aquilo que realmente está em efeito aqui: “quanto tempo você deve dar a um anime antes de poder falar dele?”

O sentimento de dever é externo. Quando você expressa descontento com uma obra sem a ter assistido na íntegra, são os fãs dela que criticam. E não nos façamos de santo: quando criticam algo que nós gostamos com base apenas no primeiro episódio ou nem isso, não somos nós os primeiros a pensar que fulano ou ciclano devia seguir assistindo até aquela cena, ou aquele episódio? Ao mesmo tempo, e sem querer ofender ninguém, há certa hipocrisia nesse raciocínio.

Eu acho curioso como essa discussão nunca surge quando se fala bem de uma obra. Até pela forma como os animes são normalmente distribuídos, um episódio de pouco mais de 20 minutos por semana, o meio otaku é um que estabeleceu certa relação com a fragmentação. Discutimos episódio a episódio. Analisamos episódio a episódio. E enquanto estamos elogiando, dificilmente alguém vê algo de estranho nisso.

Mas é quando alguém fala mal tendo por base apenas um fragmento que vem a tona o quão esquisita é toda essa nossa situação. Porque, na vasta maioria dos casos, todos nós só podemos falar de fragmentos. Daquele episódio. Daquela temporada. E uma vez completa, uma vez terminada, a obra é também esquecida.

Então… pra onde vamos a partir daqui? Como alguém concilia tudo isso, todas essas visões e atitudes tão contraditórias? Bom, eu posso dizer o que EU ando pensando.

Em primeiro lugar, a fala fragmentária é parte intrínseca dessa mídia. Se os produtores, diretores, roteiristas, ou quem quer que for não quisessem que comentássemos o anime em fragmentos eles não o lançariam em fragmentos. E implícito nisso está que sempre haverá os dois tipos de opiniões: aqueles que falam bem com base em um episódio e aqueles que falam mal com base em um episódio.

Em segundo lugar, cada pessoa sabe o tempo que tem. Eu não acredito que exista uma regra geral e perfeita de quanto tempo você deve dedicar a um anime. Saem cerca de 40 a 60 títulos por temporada. Tente seguir a regra dos três episódios com todos e você acabará gastando ai de 13 a 20 horas no mínimo. Vai da sua consciência de se esse é um tempo bem investido ou não.

Terceiro: cada pessoa conhece a si próprio e aos próprios gostos. Quanto mais consumimos de uma mídia, mais nos “aclimatamos” com seus tropes, clichês e estruturas. Eu sei o que gosto e o que procuro em um anime, e enquanto não sou fã de abandonar uma obra em instantes eu também me recuso a ver mais do que me permite a minha tolerância. Isto é um hobby, afinal, e ele deveria ser divertido em primeiro lugar.

Ao mesmo tempo, sempre haverá alguém que seguiu vendo aquele anime que você dropou, e se os comentários sobre a obra indicarem que talvez as suas impressões iniciais talvez estivessem erradas, ai pode vale a pena voltar ao anime e dar a ele um pouquinho mais de tempo. Não há porque fingir que a sua lista de abandonados está escrita em pedra, afinal.

E por último, ter sempre todas essas questões em mente, e pensar, caso a caso, quanto tempo eu quero dedicar a cada anime.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s