Café com Anime – Dororo, episódio 4


Nossa conversa semanal sobre os animes da temporada


Olá a todos, e bem vindos a mais um Café com Anime \o/ E como de costume, mais uma vez se juntam a mim o Fábio “Mexicano”, do Anime 21, o Vinicius Marino, do Finisgeekis, e o Gato de Ulthar, do Dissidência Pop, desta vez para discutirmos essa mais nova adaptação do clássico de Osamu Tezuka, Dororo.

Antes de irmos parara a conversa, porém, não deixem também de conferir os demais blogs! No Anime 21, teremos nossas conversas sobre Mahou Shoujo Tokushuusen Asuka. No Dissidência Pop, nossas discussões sobre Kouya no Kotobuki Hikoutai. E no Finisgeekis, aquelas sobre Yakusoku no Neverland. Não percam!

E sem mais delongas, vamos então à conversa. Uma boa leitura /o/


Diego:

E eis que Dororo nos entrega ainda outro excelente episódio. Hum… Sinto que esta é uma frase que ainda escreverei bastante nesse nosso Café. Mas ei, a verdade é a verdade :stuck_out_tongue:

Adoro como começamos com o Hyakkimaru sentindo a chuva no corpo. Agora que ele recuperou sua pele e sua capacidade de sentir, da pra se imaginar quantas novas sensações ele deve estar tendo de processar. Ficar na chuva é uma experiência completamente nova pra ele, e da pra entender porque ele iria querer ficar ali por mais de meia hora…

E impressão minha ou o anime vem sempre tentando dar uma “pista” de qual vai ser a parte do corpo recuperada? No caso do primeiro episódio, temos as pessoas falando de como o rosto do Hyakkimaru parecia uma máscara. No episódio da Bandai, temos ele sendo atravessado por um dos tentáculos dela e não sentindo nada. E nesse episódio nós começamos com o Dororo apontando que ele é surdo e a mulher respondendo que ele devia estar “ouvindo” a chuva. Seja como for, vou tentar prestar mais atenção nisso daqui pra frente.

Ah, mas e vocês, o que acharam do episódio?


Fábio “Mexicano”:

Hyakkimaru recupera a audição e a primeira coisa que ouve é o choro de uma vítima sua. Quero dizer, sim, ele fez o que era certo, mas mesmo assim Osushi é a vítima ali. Quanto sofrimento será que ele aguenta? Pergunta retórica, ele é o protagonista, é claro que vai aguentar todo o sofrimento que lhe for infringido, vai carregar também o fardo do sofrimento daqueles com quem cruzar o caminho, e talvez tenha uma morte trágica no final. Ele está literalmente purificando a terra dos demônios, afinal.


Vinicius Marino:

Olha só! A Ebony Blade de The Elder Scrolls finalmente deu as caras em Dororo!

Mais um excelente episódio, de fato. E não só pela consonância com uma de minhas franquias de games favorita. Como vocês bem apontaram, ele está repleto de simbolismo.

A começar pela ideia da arma que tem vida própria, que sempre parece despontar em histórias sobre grandes matanças. Depois a chuva, que poderia preencher um anime inteiro só com suas implicações.

Ela é uma tempestade sensorial (com o perdão do trocadilho). Algo que purifica (como o próprio Hyakkimaru está purificando a terra dos demônios). Ela é perigosa, desagradável, mas necessária para trazer renovação. Ela força as pessoas a esperarem (de onde a profusão de histórias intituladas “Depois da Chuva”, mas o que vem em seguida geralmente é transformador).


Gato de Ulthar:

Ótimo episódio realmente, já está ficando chato dizer isso! :stuck_out_tongue:

O tema da arma com vida própria foi muito legal, quem poderia imaginar que um dos demônios seria um objeto? me lembrou Jojo Bizarre Adventure, em Stardust Crusaders há um stand inimigo que é uma espada.

Esse é um elemento interessantíssimo, pois tira toda a vontade própria da pessoa subjugada pelo objeto, e isso o torna um inimigo muito difícil de se combater.


Fábio “Mexicano”:

Tira mesmo? Claro, vimos a espada mover o Dororo por aí, e o Tanosuke certamente mudou de personalidade, mas eu não iria tão longe a ponto de dizer que ele perdeu completamente o controle sobre sua vontade. Ao final, ele parecia era estar gostando muito, e talvez por isso Nihiru fez questão de voltar para ele.

Abstraindo um pouco mais, é próprio da carreira militar, durante uma guerra, ver-se em dilemas entre obedecer ordens e obedecer o seu próprio senso moral. Consigo enxergar em Tanosuke um soldado com o espírito quebrado pela guerra, ainda que estivesse do lado vencedor, e que se tornou psicótico e violento por causa disso. Mas assim como os Homens põem a culpa nos demônios, em Dororo, para todo mundo é mais fácil culpar algo externo. Só estava obedecendo ordens. Foram os outros que o tornaram daquele jeito. Veja só, ele não tinha mais o controle de sua vontade.


Gato de Ulthar:

Eu acho que o Tanosuke parou de “reagir”, ou seja, depois de um tempo ele deixou ser controlado pela espada sem fazer nenhum esforço contra, e isso me lembra bastante o Um Anel do Senhor dos Anéis, que pouco a pouco mina a vontade própria do usuário…


Diego:

Quando eu assisti o episódio a minha primeira lembrança foi mesmo o Anúbis de JoJo :smile: Ainda que, parando agora pra pensar, Katanagatari tem algo semelhante. Me pergunto se se trata de uma linha de influências e referências ou se estamos diante de um trope comum no folclore japonês, esse da espada com uma espécie de vida própria.

Agora, na questão do quanto a espada tira a agência de quem a usa, acho bem importante a fala do Dororo de que o ex-soldado lá estava sorrindo. O Dororo, por outro lado, resistiu o quanto pode, e acho que ficou implícito mesmo que um dos aldeões que topou com o garoto saiu apenas com a roupa cortada porque o Dororo segurou a espada o bastante para não causar um dano ainda maior.


Fábio “Mexicano”:

A situação em que cada um empunhou Nihiru deve ser considerada. Quando Tanosuke foi ordenado se matar com a espada, ele tem um breve vislumbre do origami de grou que ele fazia para a Osushi: certamente deve ter pensado que não poderia deixá-la sozinha, menos ainda em desgraça por ser irmã de um samurai que desobedeceu seu mestre. E então ao invés de se matar, ele cumpriu a ordem. Talvez nesse momento a vontade da espada e a vontade dele (imagine o ódio que sentia) se sincronizaram. Ele era, mas ao mesmo tempo não era controlado.

E ele fez outro grou antes de deixar Osushi para ir recuperar Nihiru e enfrentar Hyakkimaru. Ele estava algo possuído, degenerado, mas ainda lúcido. Sabia que já tinha ido além da fronteira sem retorno há muito tempo, e que representava agora mais um perigo do que segurança para Osushi, que de todo modo já havia se acostumado a viver sozinha. Quero crer que ele sabia que era a hora de morrer.


Diego:

Sim, acho que ficou meio implicito que a intenção dele era morrer. Talvez, inclusive, seja o motivo do Hyakkimaru o ter matado, ao invés de apenas desarmá-lo como fez com o Dororo.


Fábio “Mexicano”:

É verdade. Hyakkimaru provavelmente poderia tê-lo desarmado e partido a espada. Quero dizer, eu acho que poderia, né, senso comum, espadas e tal, mas como era um demônio não vou dizer que tenho certeza.


Vinicius Marino:

Eu inclusive estava esperando isso acontecer. Há um filme de samurai , Zatoichi, com uma cena muito parecida. Um ronin “encerra” um duelo antes de começar partindo o cabo da espada no meio.

Sobre o simbolismo em si, acho que a “espada possuída” é uma imagem forte da agência humana em tempos de guerra. Todo conflito gera pessoas que cometem atrocidades em nome das “ordens”, ou do imperativo de um bem maior. Outros tantos são de fato psicopatas – ou se desumanizam a pontos similares- e usam a guerra de justificativa para seus crimes.

Onde começa um e termina outro? Como você sabe que mata porque deve ou porque legitimamente pegou gosto pela coisa? Acredito que Tanosuke tenha sofrido um dilema similar.


Diego:

Bom, mudando um pouco o assunto, eis que nesse episódio o Hyakkimaru recupera ambas as orelhas. Vamos fazer as contas? Já tivemos 4 demônios mortos, com 8 ainda por vir. E sabemos que o Hyakkimaru precisará recuperar no mínimo os dois braços, uma perna, os dois olhos, o nariz e a boca. Assumindo que os olhos venham juntos, assim como as orelhas, são ai seis partes, restando ainda duas. Pele e nervos ele já recuperou, então que outras partes será que teremos?


Fábio “Mexicano”:

Ele vai precisar precisar mudar seu estilo de luta quando recuperar os braços (ou cortar os braços fora) :stuck_out_tongue:

Em todo caso, um dos demônios não o devorou, Buda desviou, então só falta “uma parte”.


Diego:

Na questão do estilo de luta, já discutimos antes como o Hyakkimaru parece que irá ficar cada vez mais fraco quanto mais partes do corpo recuperar. O que inclusive me faz pensar a ordem em que ele recupera cada parte. Se for pra chutar, eu apostaria que no próximo episódio vem os olhos ou a boca. Vão deixar pelo menos um braço mais para o final, para que ele possa continuar lutando, mas duvido que seja a última parte recuperada.


Fábio “Mexicano”:

Talvez a parte final seja algo mais espiritual, como “coração” ou “alma”. Se bem que no original ele já parecia bastante humano desde o começo, seria estranho faltar-lhe algo assim.

Ou vai ver é o umbigo.


Vinicius Marino:

Eu pensei no problema dos braços logo no primeiro episódio. Minha angústia foi aplacada pelo flashback de sua juventude, quando vemos que ele era igualmente habilidoso lutando com uma katana. (Como aqueles braços prostéticos conseguiam manejar uma katana é outra história, mas enfim).

Acho que ele continuará letal, portanto. Não que a recuperação de seus outros sentidos não possa enfraquecê-lo.

Acredito que a mais crítica será mesmo a visão. E me pergunto se, com a visão, ele não perderá esse “sexto-sentido” que lhe permite identificar criaturas pela índole.

Isso, sim, seria o beijo da morte.


Gato de Ulthar:

Que pergunta Diego, me fazer ter que usar matemática para respondê-la! :stuck_out_tongue: Mas vamos lá, simplesmente faço coro com os demais, mas a ordem ainda é um mistério, só sei dizer que talvez a visão seja uma das últimas partes a serem recuperadas, dada a característica de sua habilidade.


Diego:

Pois é. Depois do que o Vinicius apontou, talvez a visão seja a última coisa recuperada. No mangá original, Hyakkimaru recupera um olho de cada vez, então um ele consegue de volta relativamente cedo na história. Mas duvido que o anime vá por esse caminho.

Mas bom, acho que só nos resta esperar para ver. Então fiquemos por aqui. Não falamos tanto essa semana, mas compensamos na próxima :smile: Sendo assim, até lá a todos o/

E você, leitor, que acha do anime até aqui? Sinta-se a vontade para descer um pouco mais a página e deixar um comentário com a sua opinião.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s