5 Mangás que eu Adoraria ver no Brasil


Se Papai Noel existisse…


Estamos em dezembro. Semana que vem já é o natal. E desde a última quinta feira eu estive incapaz de funcionar como um ser humano, só vindo a me recompor de fato na última segunda (quando então eu precisava correr para preparar a Rápida Review e os Comentários da semana). Então querem saber? Vamos com algum um pouquinho mais fácil desta vez.

Há tempos que venho pensando em fazer uma lista do tipo, e a época simplesmente me parece a mais apropriada. Só uma rápida nota: estes são mangás que eu gostaria que viessem para o Brasil, não mangás que eu ache que virão. Sendo realista, a verdade é que eu não acredito que nenhum desses títulos tenha se quer chance de dar as caras por aqui (bom, exceto talvez um). Mas como diz o ditado, sonhar é de graça!

Como sempre eu peço para que não vejam essa lista como um top. A ordem aqui é mais ou menos aleatória, então não é porque um título está mais para baixo que eu o queira mais. E dados os avisos, vamos então aos títulos.

 

5. Hourou Musuko (2002 – 2013)

Um dos meus animes favoritos, e um dos meus mangás favoritos, se você acompanha o blog ou o canal há algum tempo, já sabe do meu apreço por essa história, refletido em uma review do anime, uma análise aqui no blog (sabem, no tempo que elas existiam…), uma breve análise também aqui no blog, e ainda outra análise lá no canal, fora a review do mangá, linkada acima.

Um drama lindamente executado, onde acompanhamos a juventude de duas crianças transexuais: Shuuichi Nitori e Yoshino Takatsuki. Uma história sobre gênero, sim, mas também sobre uma miríade de outros temas, transmitidos através de personagens humanos, muito bem caracterizados, e que se desenvolvem na medida certa ao longo dos oito anos de suas vidas que a obra cobre. Um mangá excelente, que infelizmente é bem menos conhecido do que deveria, pelo menos aqui no Brasil.

E para minha tristeza, o mais provável é que vá continuar assim. Temáticas de lado, o fato de ser um mangá já finalizado, de longa duração (teve 15 volumes), e que ainda por cima já foi adaptado em anime (em 2011), fazem de Hourou Musuko exatamente o tipo de mangá que as editoras mais evitam de lançar por aqui. Ainda se houvesse uma fanbase pedindo a vinda do título, mas nem isso…

 

4. Aria (2001 – 2008)

anime de Aria é ainda outro de meus favoritos nessa mídia, o que também se reflete na atenção que já dei a ele: uma review e uma breve análise aqui no blog, além de uma análise no canal. Infelizmente, eu estou ainda para ler o mangá.

A história se passa no distante futuro, em um planeta Marte colonizado e terraformado. Rebatizado como Aqua, aqui encontramos a cidade de Neo Venezia, onde gondoleiras profissionais levam os visitantes pelos canais de água límpia. Akaria é a aprendiz de uma dessas gondoleiras, e aspira um dia tornar-se uma, nutrindo em si um profundo amor por aquela cidade. Um belíssimo slice of life, que entrega ainda uma importante mensagem sobre tentar levar a vida com mais calma, olhando com mais atenção para o mundo à sua volta.

Infelizmente, no que tange às chances de vir para o Brasil, Aria sofre praticamente dos mesmos problemas de Hourou Musuko. Juntando a série original Aqua, de dois volumes, com a sua sequência imediata Aria, de doze, temos aqui 14 volumes de um mangá já finalizado que também já teve sua adaptação em anime. Haverá o dia em que teremos mais slice of life aqui no Brasil, mas este dia claramente não é hoje.

 

3. Kagerou Daze (2012 – )

A série Kagerou Project foi a primeira série de vocaloids com a qual eu tive contato, e foi em grade medida um dos fatores do meu apreço por essa mídia. Eu até já cheguei a fazer uma review da série de músicas aqui no blog. Infelizmente, a adaptação em anime, Mekakucity Actors, foi… bom, vamos dizer que eu não gostei e ficar por isso mesmo. O mangá, por outro lado…

Kagerou Project é a história do Mekakushi-dan, um grupo de crianças com poderes especiais, que quando ativados tornam seus olhos vermelhos. Pode parecer uma premissa simples, mas é a execução que fascina. O mistério em torno de como essas crianças conseguiram esses poderes, além da trágica história de vida de cada um desses diferentes personagens. É uma história que te prende desde o começo, e a adaptação em mangá, Kagerou Daze, soube capturar isso muito bem – pelo menos até onde eu li.

Infelizmente, o que falta à série é interesse. O mangá ainda está em lançamento, aparentemente com 12 volumes no momento (ou assim me diz a Wikipedia…), mas não há uma fanbase que esteja pedindo a vinda desse título. O que é uma pena, já que essa é uma história que bem poderia fazer sucesso por aqui (eu acho).

 

2. Digimon Adventure V-Tamer 01 (1998 – 2003)

A franquia Digimon foi uma das grandes responsáveis por eu voltar a assistir animes durante a adolescência, e alguns de seus títulos também já marcaram presenta aqui no blog. Uma análise e uma review de Adventure. Uma review de Tamers. Não é uma franquia que eu acompanhe tanto hoje, mas ainda é uma pela qual tenho certo carinho.

Digimon Adventure V-Tamer 01 veio antes do primeiro anime, se passando em um universo alternativo onde temos Taichi e seu parceiro Zeromaru viajando pelo mundo digital a fim de protegê-lo de nova ameaça. Nada muito fora do padrão, mas a longevidade do mangá comprova que a excussão soube entregar uma história divertida e agradável de se acompanhar. Para mim, este ainda é o melhor mangá da franquia, embora eu admito que até hoje não li o mangá de Xross Wars (que muita gente diz ser excelente também).

O mangá teve 9 volumes no total, e eu diria que o maior empecilho à vinda é uma questão de timing. Digimon, a franquia, já foi consideravelmente maior no Brasil do que é hoje, e olha que mesmo em seu auge ela nunca atingiu a popularidade de um Pokémon ou Dragon Ball. Mas ei, se o mangá de Pokémon veio, quem sabe um dia, né? Como eu disse na introdução, sonhar é de graça.

 

1. Shoujo Shuumatsu Ryokou (2014 – 2018)

Shoujo Shuumatsu Ryokou foi um dos melhores animes de 2017, e eu digo isso com segurança. Uma história introspectiva e atmosférica, sobre duas garotas que viajam por um mundo pós-apocalíptico. Uma obra imaginativa, mas também tematicamente bastante rica, como já demonstrei na minha análise do anime para o canal.

Poucos meses depois do anime terminar, foi a vez o mangá chegar ao final, e à época eu cheguei a ler o último capítulo. Como é uma obra até que bastante episódica, não tive problemas para entender. Mas ainda assim, adoraria pegar o título para ler desde o começo – de preferência em formato físico, para eu colocar na minha estante.

Dentre todos os mangás mencionados nessa lista, este é talvez aquele com as melhores chances de um dia dar as caras por aqui. São apenas 6 volumes, e sua adaptação em anime ainda é relativamente recente. Infelizmente, a falta de títulos mais atmosféricos aqui no Brasil me tornam um pouco cético à possibilidade.

E você, leitor, que mangás gostaria de ver chegarem ao Brasil? Sinta-se a vontade para descer um pouco mais a página e deixar um comentário com a sua opinião.

Imagens (na ordem em que aparecem):

1 – Shoujo Shuumatsu Ryokou, episódio 1

2 – Capa do volume 1 de Hourou Musuko

3 – Capa do volume 1 de Aqua

4 – Capa do volume 1 de Kagerou Daze

5 – Capa do volume 1 de Digimon Adventure V-Tamer 01

6 – Capa do volume 1 de Shoujo Shuumatsu Ryokou

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s