Comentários Semanais – SAO 3; Goblin Slayer; Tensei Shitara Slime; e muito mais.


O que assisti essa semana.


Olá a todos, e bem vindos a mais um Comentários Semanais \o/

Antes de mais nada, vocês terão de desculpar a seleção mais “enxuta” de títulos desta vez. Eu andei passando meio mal desde a semana passada, e mal consegui assistir animes nesse tempo.

Dos títulos da temporada, quatro dão as caras aqui. Dentre os animes longos, teremos apenas Kitaro nessa semana. E dentre os animes finalizados, Precure999 dão as caras (juro que não dropei Non Non Biyori Repeat!).

Mas, fiquem de olho na semana que vem, pois o artigo será bem grande. Eu pretendo falar de todos os animes que estiverem terminando, e com a maioria dos títulos da temporada tendo 12 episódios podem esperar ai um texto bem longo.

Por hora, porém, vamos aos desta semana /o/


Temporada de Outono / 2018


Sword Art Online: Alicization, episódios 10 e 11

Esses dois episódios marcam um ponto de virada na história. Começando pelo 10, aqui vemos de forma muito mais palpável aquilo que o Kirito argumentou no episódio anterior: diante de uma lei injusta, o imperativo moral é o de quebrá-la. O que os nobres fizeram era legal, mas era também imoral. Não é fácil, porém, violar a lei em Underworld, como o Eugeu bem se deu conta.

Foi, sem dúvida nenhuma, o episódio mais “pesado” da franquia até o momento, e como leitor da light novel eu posso assegurar que não veremos algo do tipo novamente. A Aniplex inclusive sentiu necessidade de censurar ainda mais o episódio na sua exibição ocidental, dai a versão que saiu no Crunchyroll ser ligeiramente diferente daquela que saiu nas televisões japonesas. Pessoalmente, não é algo que me agrade: não acho que esse tipo de decisão deveria ser função da distribuidora. Mas o que está feito está feito.

Em todo caso, se o episódio 10 marca um ponto de virada na história, o episódio 11 vem nos indicar quais os novos rumo. Eu não lembro se o anime chegou a explicar isso, mas até aqui o plano do Eugeu e do Kirito era competirem no grande torneio dos quatro impérios, cujo vencedor seria declarado um Integrity Knight. Agora isso já não é mais uma opção, não apelas pelos dois serem criminosos, mas também porque o reencontro com a Alice demonstra que tornar-se um Integrity Knight significaria perder suas memórias.

O jeito agora é chegar ao topo da Igreja pela força. Apesar de um começo mais vagaroso, é a partir daqui que a trama deve começar a satisfazer o desejo das pessoas pela volta da ação. Só não esperem pura ação: o próximo episódio deve entregar uma boa batalha, mas o seguinte… Bom, comentemos na hora oportuna.

Ah sim, e não poderia deixar de mencionar: o episódio traz também uma pequena sequência no mundo real, lotada de foreshadowing. Embora para o que, exatamente, eu mesmo não sei dizer (preciso retomar a novel qualquer dia desses…). Ainda assim: ichiemon e o misterioso niemon, além aqueles dois cientistas que passaram pela Asuna, isso com certeza ainda voltará a ser importante, só resta saber quando. Já a fala da Asuna sobre como gostaria de entrar em Underworld para ajudar o Kirito… Bom, de novo, comentemos em hora oportuna.

Tonari no Kyuuketsuki-san, episódios 10 e 11

Alguns comentários rápidos, o episódio 10 vem em clima festivo, com três esquetes cobrindo o halloween, o natal e o ano novo. E eu gosto bastante de como tanto as fantasias de halloween como os presentes de natal (dados e recebidos) refletem a personalidade, gostos e desejos de cada personagem.

E virado o ano, que melhor momento para arrumar a casa? Ok que o anime não realmente estabelece essa ligação, mas ainda assim, acho que não foi coincidência o episódio 11 começar com uma arrumação logo após o 10 encerrar no ano novo. E foi legal vermos um outro lado da Sophie. Que ela era uma colecionadora de livros já sabíamos há tempos, mas eis que a vampira se revela uma verdadeira acumuladora!

O ponto alto do episódio, porém, vem com a esquete da febre da Akari. Não esperava ver nesse anime de garotas fofinhas uma referência à hipótese dos quatro humores, muito menos uma à peste negra! Um nem tão sutil lembrete de que duas de nossas protagonistas são literalmente centenárias! Ainda que as idades não batam muito. Elie ficou dormindo por cem anos, mas mesmo no século passado a hipótese dos humores já havia caído por terra. E a Sophie precisaria ter pelo menos o dobro da sua idade para ter vivido durante o pior surto da peste negra.

Mas tudo bem, são detalhes. E ainda que eu gostaria que o anime tivesse acertado a sua cronologia, no final o que conta são as piadas e a caracterização das personagens, ambos muito bem feitos nesse penúltimo episódio.

Goblin Slayer, episódio 10

O episódio dessa semana de Goblin Slayer foi um recap do anime até aqui, com a série retomando a continuidade apenas na semana que vem. Sendo assim, falemos apenas do episódio da semana passada, o 10.

Esta foi a calmaria antes da tempestade, um episódio cujo propósito é fazer a ponte entre o arco anterior e o que irá se iniciar. E ele começa num clima mais festivo, conforme se espalha a notícia de que o Rei Demônio foi finalmente derrotado, mas ele termina num clima ligeiramente mais melancólico, conforme a garota da fazendo pondera qual pode ser o futuro do Goblin Slayer. Afinal, mesmo que ele não acabe morrendo para um goblin, eventualmente ele estará velho demais para continuar fazendo o que faz.

Eu já venho dizendo há algum tempo sobre como o arco do Goblin Slayer é o dele recuperando a sua humanidade. Ele começa muito como uma máquina, e vai evoluindo (aos poucos, mas vai) conforme a série avança. O primeiro passo disso foi a formação de laços sociais, primeiro com a Pristress, depois com os demais membros da sua party atual, e agora mesmo com a garota da guilda. Pensar sobre o futuro parece ser o próximo passo a ser tomado, o que também diz muito sobre o que essa série considera os elementos mais “essenciais” de um humano.

E nisso temos aquela cena final. Existem duas formas de elevar os riscos em uma história. A primeira é a de tornar a ameaça ainda maior. Um inimigo mais forte. Um time mais habilidoso. Um cataclismo de proporções bíblicas. Já a segunda forma é tornar a ameaça mais pessoal, que é o que Goblin Slayer parece estar tentando fazer. Goblins estão chegando na fazenda, e o risco de se repetir aqui o que ocorreu na infância de nosso protagonista é bastante real.

Que fique claro, eu não espero um fim trágico aqui. Em parte por já ter tomado alguns spoilers, mas também em parte porque eu não acredito que um final do tipo combinaria com essa série. O que eu espero, sim, é uma ótima luta. Sendo o confronto final do anime, quero a inventividade do Goblin Slayer no ápice para enfrentar o que parece que será uma horda bem grande de goblins. Esperemos pra ver!

Tensei Shitara Slime Datta Ken, episódios 11 e 12

Vamos lá, ao invés de comentar os episódios de Tensei Slime em separado, eu quero comentar aqui duas “coisas” que perpassam a ambos os episódios.

Primeiro, o Gabiru. Esse é um personagem curioso, e um que eu tinha tudo para odiar. Eu realmente não gosto de personagens muito manipuláveis, que ainda por cima agem de forma muito irracional. Quase sempre esse tipo de personagem é usado para criar conflitos que nem precisavam existir em primeiro lugar. Mas algo interessante no Gabiru é que ele não é burro. Ele é manipulável, mas porque ele se deixa levar pela atmosfera ao seu redor. Ele só começa a se achar quando todo mundo em volta dele diz que ele é o máximo. E só decide tomar o poder quando alguém que ele tem em alta estima (o majin que lhe deu um nome, afinal) lhe diz o que deveria fazer.

E mesmo assim, a sua decisão de tomar o poder, que vemos no episódio 12, vem não por cobiça ou incompetência, mas por uma falta de informação. Ele não sabe sobre a habilidade que o Orc Lord confere aos seus subordinados, então pra ele a ideia de enfrentar o exército orc é a mais razoável. Ele coloca que os lizardman não iam aguentar uma guerra de resistência, e ele tem razão! O rei só aceitou manter essa posição pela promessa de que o Rimuru viria e porque ele sabe sobre o terror que é a habilidade única do Orc Lord. A diferença entre o idoso e o filho é muito mais uma de experiência do que uma de competência, o que cria uma dinâmica até que bem legal de se ver entre os personagens.

E em segundo lugar nós temos o próprio Rimuru. Eu gosto de como o protagonista é um personagem bastante cauteloso, mesmo com todo o poder que já o vimos demonstrar. Ele entende a ameaça que o exército orc representa, mas não quer uma aliança desfuncional (como a que o Gabiru parecia oferecer), nem partir para a luta sem maiores informações (como a dríade pediu). É um lado que reflete muito o fato de que ele era já adulto quando humano, e uma singela lufada de ar fresco em meio a não poucos protagonistas esquentados e impulsivos.


Animes Longos


GeGeGe no Kitaro, episódio 36.

Mas é claro que o Nanashi ia fazer o Anel de Arcana aparecer logo do lado da Mana… É legal vermos um pouco mais do vilão principal do anime. Considerando o episódio em que estamos, eu imagino que o próximo arco deva ser o dele, e estou realmente interessado em ver se o pay off irá corresponder ao bild up que temos desde o episódio 1.

Mas voltando ao episódio em questão, como eu havia imaginado temos que a Adele realmente tenta se sacrificar pela irmã. É interessante que ela diz que estava apenas fingindo ser a irmã mais velha obcecada com a tradição familiar, mas ainda assim ela não consegue conceber uma saída que não termine com o projeto Brigadon sendo levado a cabo. Ela ainda vê essa missão como um destino inescapável, e no final é essa a real divisa que há entre ela e a irmã. Agnes não quer simplesmente fugir de seu destino, ela quer acabar com ele, rejeitá-lo de fato, e é isso que a Adele não consegue fazer.

Eu só me pergunto como essa história irá terminar. Claramente é preciso derrotar o Backbeard, mas dada a diferença de poder que vimos entre Kitaro e Adele, que inclusive foi facilmente rendida pelo seu mestre, o anime vai precisar justificar muito bem a vitória dos protagonistas para não soar meio forçada. Imagino que teremos mais uma vez uma união entre a Agnes e o Kitaro, com ambos combinando seus poderes, mas me pergunto se apenas isso irá bastar.

Ah sim, e o que será que houve com a Mana? Morta ela não está, até a vemos aparecer na prévia, mas então por que esconder o seu paradeiro do espectador? Será que a garota se mostrará a chave para vencer o Backbeard? Não duvido. Mas acho que já teremos a resposta na próxima semana, então é esperar pra ver.


Outros Títulos


Futari wa Pretty Cure, episódios 12 e 13

Só alguns comentários rápidos, é interessante que nesse novo arco a dinâmica da coisa mudou consideravelmente. De apenas um vilão por vez nós temos agora dois, que parecem estar trabalhando separadamente e cada qual com seus meios de se aproximar das garotas. Ainda que, vale dizer, ambos usem táticas semelhantes, se disfarçando para conseguir chegar até as meninas. Diferentes, mas nem tanto, isso talvez se explique no fato de ambos aparentarem serem irmãos.

E do lado das protagonistas, temos agora que tanto a avó da Nonoka quanto as amigas da Nagisa viram as duas se transformar e lutar. Eu realmente espero que saia algo disso, ainda que não acho que virá em pouco tempo. Ainda assim, seria interessante se de alguma forma isso alterasse a dinâmica da história. Talvez as amigas da Nagisa passem a ajudá-la “escapar” quando ela precisar enfrentar algum vilão durante o período de aulas. Ou talvez não de em nada: vou continuar vendo para descobrir.

Ginga Tetsudou 999, episódios 40 a 42

Também só alguns comentários rápidos, os episódios 40 e 41 formam esse mini arco desse conjunto habitacional esférico no meio do espaço, cujo chefe decide sequestrar a Maetel. O episódio 40 em si é um bem legal, mas eu sinto que o 41 conseguiu a façanha de jogar por terra todo o potencial que o arco poderia ter. Então perdoem-me por apenas passar reto por ambos.

O episódio 42, porém, foi bem legal. Tivemos um pouco mais do backstory do condutor, conforme somos apresentados à sua ex-namorada e antagonista da vez. E eu realmente gosto dessa “vilã”. É uma personagem interessante, que saiu de seu planeta natal sustentada por um sonho, o de se formar na faculdade, mas que após viver em necessidade durante a sua estada no exterior terminou por se ressentir da ideia de se deixar levar por um sonho. Então enquanto a opinião dela de que dinheiro é tudo é talvez criticável, conseguimos muito bem entender como ela chegou a esse ponto.

O fechamento do episódio foi até que bem tocante, com o condutor declarando que mesmo que não ame mais a pessoa que sua ex se tornou, ele ainda assim manterá consigo as boas memórias da juventude que passaram juntos. Uma atitude surpreendentemente madura para uma série que já resolveu problemas conjugais na base da bala. Eu só fico sem entender porque a mulher tentou descarrilhar o 999.

E você, leitor, que está achando da temporada? Sinta-se a vontade para descer um pouco mais a página e deixar um comentário com a sua opinião.

Anúncios

3 comentários sobre “Comentários Semanais – SAO 3; Goblin Slayer; Tensei Shitara Slime; e muito mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s