Uma Rápida Review – Hi no Tori 2772: Ai no CosmoZone


Texto originalmente publicado na página do blog no facebook, em 22/10/17


O filme é inspirado no mangá de Osamu Tezuka “Hi no Tori”, e foi inclusive produzido pelo estúdio fundado pelo próprio Tezuka, o Tezuka Productions.

A história se passa no distante futuro, em uma Terra exaurida de seus recursos naturais. Aqui, humanos são criados in vitro, e um deles é o nosso protagonista, Godo, destinado a se tornar um piloto espacial e que deverá ser enviado em uma missão para encontrar o monstro “Cosmozone 2772”: a Fênix (Hi no Tori, literalmente Pássaro de Fogo). E o que eu achei dele? Bom…

Ok, vamos tirar uma coisa do caminho: esse filme é longo demais. Boa parte do filme é usada em trechos musicais (apenas instrumentais) envolvendo os mascotes. Apesar de fofinhos isoladamente, os trechos soam como filler nesse filme, especialmente considerando o tom bem mais sério que ele possui em sua maior parte.

Fora isso, porém, o roteiro é até que bem sólido. Alguns twists mudam um pouco a direção aqui e ali, para evitar a obra de se tornar demasiado previsível, mas o foco é sempre mantido e a história segue normalmente num bom ritmo (tirando as cenas já mencionadas). Acho que se o filme tivesse meia hora, ou mesmo uma hora a menos ele teria fluido bem melhor.

Não há muito o que comentar sobre os personagens, tirando que a maioria é até que bem trabalhada. Um ou outro acaba soando meio inútil, e os mascotes definitivamente não adicionam nada à obra, mas em sua maioria temos um elenco até que bem sólido em sua construção, motivação, desenvolvimento…

Para mim, porém, o real destaque desse filme fica com a parte técnica. Não tanto a animação (ela seria considerada menos que impressionantes mesmo em sua época, digamos assim), mas os movimentos de câmera realmente me impressionaram. São bem mais “cinematográficos” do que a norma, favorecendo o girar e o virar da câmera ao invés dos tradicionais cortes rápidos.

Tezuka é conhecido sobretudo por ter adicionado elementos do cinema ao seu mangá, e é legal ver que o filme soube capturar muito bem esse espírito. Se mais nada, é um ótimo exemplo do que se pode ser feito na mídia em termos visuais, e é um detalhe que se sustenta mesmo hoje.

Eu acho que se você não se incomoda com uma animação claramente datada, então vale a pena dar uma chance a esse filme. Não é fantástico, mas também não é ruim.

Ficha técnica:

Nome: Hi no Tori 2772: Ai no CosmoZone
Ano: 1980
Estúdio: —
Adaptação de: Mangá* (Hi no Tori)
Direção: Taku Sugiyama
Roteiro: Osamu Tezuka e Taku Sugiyama

*Mais inspirado que realmente adaptado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s