Uma Rápida Review – Kaze no Na wa Amnesia


Texto originalmente publicado na página do blog no facebook, em 10/09/17


Fazendo essas reviews semanais de filmes, vez ou outra eu encontro obras que eu realmente adoro. “Sarusuberi: Miss Hokusai” e “Kaguya-hime no Monogatari” foram dois exemplos, que renderam mesmo reviews no blog. Infelizmente, boa parte do que eu assisto acaba caindo muito mais na faixa do mediano. E este é o caso do filme da review de hoje.

Kaze no Na wa Amnesia poderia ter sido melhor. Poderia ter sido MUITO melhor. Eu diria que ele ainda tem identidade o bastante para se destacar – ainda que apenas muito pouco – de outros filmes pós-apocalípticos de fins dos anos 80 (o filme em si é de 1990, mas a novel no qual ele se baseia é do começo dos anos 80, e o filme em si provavelmente ficou alguns anos em produção antes de sair), mas ainda assim, o saldo final é um filme que é simplesmente esquecível.

A premissa é a de que em 1997, um vento misterioso soprou pelo mundo, apagando a memória de todos. Como pilotar um avião, como operar equipamentos, como falar: a humanidade se esqueceu de tudo, retornando a um estado de puro instinto. Ao longo da trama, porém, vemos que alguns poucos humanos conseguiram manter um mínimo de suas memórias, sobretudo por estarem em alguma condição especial.

Este é o caso de um amigo do nosso protagonista, que foi quem o ensinou a falar, dirigir, operar uma arma, e outras habilidades úteis para se viver. E desde a morte desse amigo, Wataru, nosso protagonista, vaga pelo mundo para observar o atual estado da humanidade. Um dia, porém, ele encontra com a misteriosa Sophia, uma jovem que parece ter mantido as suas memórias do passado.

É uma premissa interessante, e que toca na básica questão de o que nos faz humanos. E para todos os efeitos, eu acho que o filme ao menos tenta abordar essa questão. O problema é que ele parece tentar coisas demais em tempo de menos. A premissa da história é basicamente a dos dois protagonistas, Wataru e Sofia, viajando pelos Estados Unidos, mas por ser um filme de pouco menos de uma hora e meia nós vemos apenas duas cidades do trajeto que percorrem.

Além disso, existe um sub-plot de um robô de patrulha perseguindo os dois, o que não apenas soa deslocado, trazendo elementos de ação para o que bem poderia ter sido uma obra mais introspectiva, como também bobo e infantil (e meu deus que robô persistente, Terminator já teria desistido muito antes dessa coisa).

É uma história que provavelmente teria sido melhor como uma série curta, de uns 6 a 12 episódios, do que como um filme. Acaba que nada parece ter a profundidade que deveria ter, e muitas coisas soam bem jogadas. O filme até tenta ter um romance entre os dois protagonistas, mas que soa como vindo do nada pelo pouco tempo que ele teve para desenvolver isso.

Eu não vou dizer que ele é ruim, e se você gosta de filmes pós-apocalípticos dos anos 80 então talvez valha a pena dar uma conferida nesse aqui. Só não espere nenhuma obra-prima, mas sim um filme pipoca com meia duzia de diálogos levemente provocativos que apenas por muito pouco evitam que esse filme seja completamente genérico e mediano.

Ficha Técnica:

Nome: Kaze no Na wa Amnesia
Ano: 1990
Estúdio: Madhouse
Adaptação: Light Novel
Direção: Kazuo Yamazaki

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s