Uma Rápida Review – Perfect Blue

Review originalmente publicada na página do blog no facebook, em 08/01/2017

Agora, eu tenho de ser bem honesto: eu não gosto do estilo do Kon. Para quem não conhece o diretor – já falecido, aliás -, as obras dele giram muito em torno da brincadeira com o que é real e o que é algum tipo de “ilusão” (desde ilusões de fato, loucura, até pura memória, por exemplo). E esse é realmente um estilo que não me agrada.

E… é, Perfect Blue é um filme bem “Kon”, não da pra negar. Ele ainda começa “normal”, como um thriller de suspense – o que ele se mantém até o final, não me entendam mal -, mas logo a coisa degringola para os campos mais malucos possíveis. Até porque a história é, em boa medida, essencialmente sobre a protagonista perdendo a sanidade aos poucos, conforme sucumbe às pressões da industria do entretenimento (passando de cantora Idol para atriz) e se sente em conflito entre o que ela de fato quer fazer e o que seria melhor para a sua carreira.

Dessa parte do filme, eu realmente gostei, de verdade. E a parte de suspense e mistério, relacionada a um stalker nada contente com a mudança da protagonista de idol para atriz, é também muito boa. Meu maior problema é mesmo quando entra o estilo característico do diretor, e ai você nunca sabe o que é real, o que é delírio, o que é talvez delírio de outros personagens que não a protagonista, e por ai vai. Engraçado que o filme vai implementando esse lado “realidade x ilusão” bem aos poucos, e no começo eu até estava gostando de como ia, conforme víamos apenas os delírios da Mima (protagonista), e conforme a realidade parecia às vezes meio que se “mesclar” com as cenas do show de TV no qual a protagonista atua.

Mas quando entramos em loucura total… ugh. Ta, eu entendo, o ponto da coisa toda é ser ambíguo, e fazer o espectador duvidar da realidade de tudo da mesma forma que a protagonista começa a duvidar. Mas honestamente: se eu não sei se algo é real ou não, eu não vejo porque me importar. Porque, até onde eu sei, pode muito bem ser que nada esteja em risco e seja tudo delírio, sonho, ou qualquer outra desculpa que venha.

E na moral, aquele final… O plot twist final eu realmente não sei o que pensar daquilo. Não sei nem se realmente faz sentido, na real, e muito menos em como se encaixa com outras cenas…

SPOILERS por exemplo, a da sacola no quarto da Mima, foi ela ou não? Fica ambíguo isso, na real /SPOILERS

No campo técnico, eu gostei da animação (visualmente o filme envelheceu MUITO bem, na real) e do uso que fizeram da trilha sonora. E num geral foi uma experiência… “ok”. Não faz o meu estilo de filme, mas acho que se você se interessa por esse tipo de história provavelmente vai gostar bastante de Perfect Blue.

Ficha Técnica:

Título: Perfect Blue
Ano: 1998
Estúdio: Madhouse
Adaptação: Obra original
Direção: Satoshi Kon

Visitem:

Reddit

YouTube

Twitter

Facebook

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s