Café com Anime – Kokkoku, episódio 9: Sem Retorno

Começa então mais um Café com Anime, nossa conversa semanal sobre os animes da temporada. Como de costume, juntando-se a mim no debate temos o Fábio “Mexicano”, do Anime 21, o Vinicius Marino, do Finisgeekis, e o Gato de Ulthar, do Dissidência Pop, todos aqui para falarmos agora do nono episódio de Kokkoku.

Mas antes de passarmos à conversa, quero lembrar a todos que cada blog participante do Café com Anime serve de host ao debate de um título diferente. No Anime 21 vocês conferem as conversas sobre Violet Evergarden; no Finisgeekis, as de Cardcaptor Sakura: Clear Card-hen; e no Dissidência Pop temos as de Junji Ito Colection e de Mahoutsukai no Yome. Não deixem de conferir os outros debates e boa leitura o/


Diego:

Que dizer desse episódio que começou tão bem e terminou tão… ugh. Oh bem, bem vindos todos ao nono Café com Anime de Kokkoku \o/ Vou dizer, eu gostei do início do episódio. A Juri quebrando a pedra coloca um conflito legal para o final da série. Também revisitamos o plano do Sagawa, e tenho de dizer, a motivação dele é uma interessante. Mas ai temos o Makoto desenvolvendo um poder do nada (juro que ri algo na cena) e ai o pai da Juri tomando o crédito… E ai fui só suspiros mesmo. Eu já vi esse plot. Eu já sei onde ele leva. O Makoto vai ficar pra trás na luta, o pai não vai controlar o Administrador, bla bla bla… sigh. Mas bom, e vocês, que acharam desse episódio?


Gato de Ulthar:

Bem, eu achei esse um episódio engraçado, já estou tacando o foda-se para tentar por uma lógica em Kokkoku, desta forma ele fica um anime bem divertido. O pai da Juri deu um pulo gigante para atacar o arauto com uma barra de metal ai que reside o verdadeiro poder mágico!


Fábio “Mexicano”:

Eu não consigo desistir de lógica, então aí vai: crianças adquirem poderes no estase. Deve ter algo a ver com criatividade e … sei lá, alguma besteira assim. Isso explicaria porque Juri, Majima e Makoto têm poderes. Se foi educado pelo seu próprio avô, é razoavelmente provável que o avô da família também tenha ido para lá pela primeira vez ainda criança. Se bem que a Majima tecnicamente só desenvolveu o poder depois de adulta né? Dane-se. E como já ignorei essa falha grave na minha teoria, vou continuar. O poder despertado tem algo a ver com alguma emoção forte, possivelmente de perigo, pela qual a pessoa passa. A Juri queria se afastar de seu avô e parar todo mundo, então despertou o poder de expelir os espectros, efetivamente paralisando as pessoas. A Majima estava no alto de um prédio e era morrer ali ou … sei lá, morrer caindo. Mas daí ela não morreu. E o Makoto escutou o seu avô (o Takafumi, o pai mais imbecil da temporada) gritando com um arauto, e ele meio que quis que o arauto obedecesse porque estava em perigo também, afinal.

É tudo tão mais legal quando faz sentido :) Pena que o próprio autor parece não pensar assim.


Vinicius Marino:

Crédito onde é devido: esse episódio foi melhor que muitos dos anteriores.

Concordo com o Gato que o pai da Juri foi a maior comédia. De fato, ver aquele sedentário girar um cano em cima da cabeça foi um verdadeiro super poder. Adoro como as personagens de Kokkoku têm uma enorme diversidade etária, mas todos agem, falam e movem-se como se tivessem 18 anos!

E falando no pai, eu sou um pouco mais leniente em relação à sua mentira. Sim, ele é um loser que quer tomar crédito. Mas não posso deixar de pensar que, ao fazer isso, ele também está protegendo o Makoto. Isto faria ele ser visto como um alvo prioritário, não só como uma criança irritante.


Diego:

Vou dizer que eu gostei da cena dele tentando usar um cano contra o Administrador, porque ao menos mostra a preocupação dele para com o Makoto, estando disposto a arriscar a vida para que ao menos o neto possa escapar.

E já que estamos falando do pai, algo interessante é que agora com a pedra quebrada, todos os planos dele de convencer a família a seguir usando-a foram pro saco antes mesmo de começar. O que ao menos pra mim demonstra que a intenção do anime era mesmo de fazer das cenas em que ele planejava convencer a família uma espécie de alívio cômico. O que vocês acham disso, agora que ficou praticamente impossível de termos um conflito final dentro da família com relação a o que fazer com a pedra?


Vinicius Marino:

Acho que trocamos um conflito por outro. Pelo visto, a grande questão será o sacrifício final da Juri. Quer dizer, isso se alguém não desenvolver um poder mágico de última hora que permita que ela escape também.

Vai ser interessante ver como ele reagirá quando a água bater na bunda. Aliás, ele já soube que a pedra foi quebrada ou ainda não contaram? São tantos lore dumps que eu até esqueço quem sabe do quê.


Fábio “Mexicano”:

Pelo que entendo, o pai ainda não sabe. E da última vez que tentaram contar algo ele ficou fazendo caso e só escutou o que quis escutar, por isso tem essas ideias todas erradas, acho que agora talvez não se deem o trabalho de contar pra ele. Ele vai descobrir na hora que tiver que descobrir e pronto. E também gostei de vê-lo defender o Makoto apesar do ser humano horrível que ele é.


Gato de Ulthar:

O pai realmente não sabe, pelo menos é interessante ver até que ponto ele consegue manter a ilusão de que com a pedra ele consiga virar um pai de família decente. Eu sinceramente não vejo muito futuro nisso.


Diego:

Bom, sem a pedra agora é que essa ideia não tem futuro mesmo, né? :P Mas sendo otimista, talvez o anime ainda dê ao pai alguma chance de se redimir sendo de alguma forma útil no confronto final. Já apontamos como foi legal ver ele defendendo o Makoto do Admistrador, então o anime parece sim querer indicar que ele não é de todo ruim, só alguém meio perdido na vida (e potencial sociopata, mas isso a gente ignora, até porque o próprio anime pareceu ignorar).


Fábio “Mexicano”:

A maioria das bobagens ele fez só em sua cabeça, não consigo imaginar uma redenção…


Gato de Ulthar:

Prevejo o pai fazendo grandes cagadas, nada além disso, mas não desgostaria que ele cometesse um sacrifício em prol de sua família, como ficar no mundo parado no lugar da Juri.


Vinicius Marino:

A redenção perfeita para ele seria ele salvar a família com as cagadas . Nível três patetas mesmo, do tipo tropecei e joguei o Sagawa no poço de lava sem querer

No entanto, tenho a impressão de que eles irão no caminho melodramático do sacrifício pessoal


Diego:

Parando agora pra pensar: o que qualquer um ai aprendeu, ao final de tudo? Tirando a Juri, que aparentemente ficou um pouco mais decidida depois de ganhar os poderes (e decidida a salvar a família, não necessariamente algo que transcreva para sua realidade cotidiana após todo esse incidente), praticamente todo mundo da família principal deve terminar o anime exatamente como começou, não? Acham isso necessariamente algo negativo?


Vinicius Marino:

Acho. Personagens precisam de uma peripécia. Alguma coisa que nos permita dizer: “ok, essa não é a mesma pessoa que começou essa jornada”.

O que, ao meu ver, é sintoma de um problema maior: a maioria das personagens está aí apenas como muleta à Juri, como macguffin, escape cômico ou exposição ambulante.

Elas não aprendem nada pelo mesmo motivo que o avô da Juri não tem nome. É como se Kokkoku não estivesse interessado nas pessoas. O que, para um anime sem ação, valores de produção medíocres e um foco humano, é imperdoável.


Fábio “Mexicano”:

Não foi a falta de ação ou as escolhas bizarras de enredo, tipo acharem a pedra ali na árvore de boa, que me deixaram frustrado com o anime. Foi justamente a falta de desenvolvimento de personagem. Uma vilã mudou para o lado dos mocinhos e nem ela parece ter mudado nada! Se puxarem as sessões mais antigas do Café com Anime sobre Kokkoku, até nas expectativas para a temporada, me verão dizendo que é justamente isso que eu espero do anime, que o cenário é perfeito para isso. E no entanto, aqui estamos.


Gato de Ulthar:

Kokkoku se mostrou um anime extremamente perdido, qual o objetivo dele? Ser uma aventura? Um triller de ação? Um drama familiar? Uma comédia? Em qualquer destes objetivos ele foi mal sucedido.


Diego:

Isso é verdade. Não importa qual o caminho que tentemos escolher, Kokkoku parece inevitavelmente ter tropeçado em algum ponto. É muito parado pra um anime de ação, apresenta bem pouco suspense pra um triller, não desenvolve os personagens bem o bastante para ser um drama, e alguém riu de alguma piada do anime até aqui? Também não serve como mistério, diga-se de passagem. O anime parece ser a perfeita definição de mediano: eu não chamaria ele de ruim, e até consegue divertir em alguns momentos, mas não é algo particularmente bem feito nem algo que entrará para a história como um novo clássico moderno. Francamente, tendo essa estética mais sóbria eu esperava que o anime fosse ser mais popular do que acabou sendo, e imagino se todo mundo já estava vendo a bomba antes mesmo do treco estrear :P (é, acho que não)

Embora isso em si talvez valha discussão: só eu que esperava o anime ser um pouco mais comentado do que acabou sendo? Ou vocês também imaginavam que ele atrairia mais atenção do que realmente atraiu?


Fábio “Mexicano”:

Ele nunca pareceu popular desde o começo. Se o episódio inicial tivesse mostrado algo chocante poderia ter mudado isso, mas não foi o caso. Bom ou ruim, estava condenado a ser pouco conhecido. Não sendo bom, mesmo que não totalmente ruim, resta pelo menos o consolo que o anime que está sendo largamente ignorado pelo menos é um esquecível de todo modo.


Gato de Ulthar:

Nunca fui de prestar atenção se um anime atrai ou não atenção nas mídias, mas realmente ele está muito pouco falado. Creio que isso se deu por um misto de desinteresse geral com uma produção que não chamou muita atenção. De qualquer forma, penso que Kokkoku ficará destinado ao limbo dos animes esquecíveis.


Fábio “Mexicano”:

E olha que tem uma abertura que, se eu não acho boa, pelo menos é bastante interessante.


Gato de Ulthar:

A abertura é uma das melhores da temporada.


Diego:

Sinto que sou um dos únicos que não acha a abertura de Kokkoku nada de mais :P Certamente não é ruim, e o visual é legal, mas a música em si não faz muito o meu estilo rs


Vinicius Marino:

Kokkoku de fato é o tipo de anime que se tornaria, no máximo, uma pérola momentânea. Sem um material de origem popular, um tema controverso ou uma execução notável, não vejo como poderia angariar mais ibope. Ele foi escolhido no ANN para receber cobertura semanal. Então pelo menos entre o público americano causou alguma Boa impressão.

Não posso dizer que a execução cumpriu a expectativa….


Diego:

De fato, infelizmente… Bom, mas pra encerrar a conversa, o que vocês esperam do anime agora nessa reta final? Acham que o Makoto com seu poder conseguirá peitar o Sagawa? Esperam um trabalho em equipe da família para vencê-lo? E talvez o principal: como acham que farão a Juri deixar aquele mundo? (ou acreditam que ela deve mesmo ficar pra trás?)


Vinicius Marino:

Eu acho que há uma grande chance da Juri ser sacrificada pelo bem maior. Mas reitero minha esperança para o desenlace: quero ver o pai derrotando o Sagawa com uma cagada dos três patetas.


Fábio “Mexicano”:

Deixar a Juri para trás seria uma guinada para a tragédia, coisa que não espero um anime meio boboca como Kokkoku fazendo. Ele vai tirar mais uma carta da bunda e salvar a protagonista. Talvez na última hora, quando já acreditamos que ela vai mesmo se sacrificar.


Vinicius Marino:

Vai ver o pai descobre seu próprio poder: o poder do retcon.


Fábio “Mexicano”:

Sim, imagino algo nesse sentido.

Ou de repente o poder do Makoto é dar ordens para os espectros, não para os arautos, e aí ele manda o espectro da Juri abandonar o corpo dela ao mesmo tempo em que ela expulsa o espectro do corpo dele.


Gato de Ulthar:

Também não espero nenhum grande sacrifício em Kokkoku.


Fábio “Mexicano”:

Felizes para sempre.


Diego:

De fato ainda tem o pai também, como o Vinicius apontou. Ele não desenvolveu poder nenhum até agora, talvez isso acabe se tornando o ex-machina que permita a Juri sair também. Ou talvez aquele mundo deixe de existir se todos os Administradores desaparecerem – o que combinaria com o nome deles. Mas bem, acho que vamos ter de esperar até o final do anime pra saber. Por aqui, vamos encerrando. Até semana que vem o/

E você, leitor, que achou do nono episódio de Kokkoku? Sinta-se a vontade para descer um pouco mais a página e deixar um comentário com a sua opinião.

Redes sociais do blog:

Facebook

Twitter

YouTube

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s