Conheça Evillious Chronicles: uma Dark Fantasy que vai da Criação ao Apocalipse

A história que começa na floresta.
A história que começa na floresta.

Sete Recipientes de Pecado, espalhados no mundo pelos Gêmeos Malditos. Duas feiticeiras, que agora batalham pelos recipientes, atravessando as eras em busca de seus próprios objetivos. Um reino milenar, criado pelos quatro deuses, que deveria purificar a Malicia: o Terceiro Período. E agora, conforme o ano mil se aproxima, quatro finais possíveis despontam no horizonte do tempo: Morte, Julgamento, Punição e Utopia. Se estas linhas bastaram para pelo menos atiçar a sua curiosidade, siga com a leitura e venha conhecer um vasto mundo, habitado pelos mais variados personagens. Uma franquia multimídia, que começou com uma série de musicas: Evillious Chronicles.

Agora, já faz um bom tempo que eu queria dedicar um texto a esta série, mas nunca soube realmente que texto fazer. A série ainda não acabou, então fazer uma review dela estava fora de questão. Talvez fizesse uma lista, afinal, é como eu disse: ela começou como uma série de musicas. Mas eu duvido que uma lista do tipo “as minhas musicas favoritas de Evillious Chronicles” fosse ser útil para qualquer um. Pensei, então, em fazer uma lista com as musicas mais importantes para entender a história, mas escolher apenas 10 se mostrou uma tarefa hercúlea. Assim, chegamos a este texto: um que não se encaixa em nenhum quadro do blog, um artigo especial só para apresentar a você esta série. De uma chance e leia até o final: você pode se surpreender com o que vem pela frente.

Ah, e enquanto lê, que tal uma das musicas para ficar ao fundo: Canção de Ninar Mecânica 7 – Sete Crimes e Castigos

Nanatsu no Tsumi to Batsu
Pelos gêmeos amaldiçoados, 7 pecados foram liberados

Bom, vamos lá. Quem abriu o link sugerido já deve logo ter percebido a natureza destas musicas: sim, são musicas cantadas por vocaloids. Caso você não tenha a mínima ideia do que seja um vocaloid e está se perguntando porque estes cantores tem uma voz esquisita, aqui uma síntese rápida: VOCALOID é, em fato, um software, um sintetizador de voz, usado para, obviedade das obviedades, criar vozes artificiais (por isso você provavelmente achou os “cantores” tão estranhos: não são vozes reais). Agora, o software funciona pegando uma “amostra” de voz humana – no caso dos Vocaloids, normalmente a voz de algum cantor ou cantora – e usando dessa voz para criar a voz artificial. Mude o “doador” da amostra e a voz produzida pelo software muda, e é por isso que existem tantos vocaloids diferentes (8 só na musica apresentada no link acima).

Se você já ouviu falar na personagem Hatsune Miku, ai está: ela é uma vocaloid, uma voz artificial gerada por esse software. Não muito tempo depois do desenvolvimento dos primeiros programas vocaloid, teve-se a ideia de dar às entradas seguintes da marca uma espécie de “avatar”, um personagem que o represente, e que normalmente vem estampado na capa do programa. Ah, pois sim: vocaloids são, antes de tudo, um produto, comercializáveis para quem quiser comprar. Obviamente, o público alvo original era o de artistas do meio musical, que poderiam fazer melhor uso do programa, mas ainda assim, na prática qualquer um pode comprar algum deles. E quantos existem? Um monte. Hatsune Miku, Kagamines Len e Rin, MEIKO, KAITO, GUMI, Megurine Luka, Cyber Diva, Iroha, se eu for listar cada um já feito nós ficamos aqui o dia inteiro. E claro, cada um vem com a sua própria e única voz.

Uma das caixas da vocaloid Hatsune Miku. Como podem ver, a personagem estampa o produto
Uma das caixas da vocaloid Hatsune Miku. Como podem ver, a personagem estampa o produto

Espero que até aqui tenha ficado claro, porque não quero me estender muito em definições. No futuro, eu planejo escrever um artigo somente sobre vocaloids, explicando suas origens, o que são, como funcionam, e por ai vai, mas por agora esses dois parágrafos terão de bastar.

Voltando então a Evillious Chronicles, como eu disse a história começou com uma série de musicas de vocaloids, musicas estas lançadas no site de vídeos japonês Nico Nico Douga, uma espécie de Youtube da terra do sol nascente. O autos dos vídeos se identifica apenas como Akuno-P, o “P” sendo uma referência ao título de “producer“, a forma pelo qual são chamadas as pessoas que criam as musicas de vocaloid, uma referência aos produtores musicais. Depois, Akuno-P ainda assumiria um outro pseudônimo: MOTHY, Master of The Heavenlly Yard, em referência a – conforme descobriríamos – um título dentro da narrativa de Evillious Chronicles.

A primeira musica lançada teve como título Zenmai-Jikake no Komoriuta 0 – Kotoba no Asobi. Ou, como é mais conhecida em inglês: Clockwork Lullaby 0 – Workplay (Canção de Ninar Mecânica 0 – Brincando com Palavras). Agora, antes que você decida procurar essa musica no Youtube, acho bom já avisar uma coisa: lançada em março de 2008 e cantada pela vocaloid Kagamine Rin, ainda hoje nós não sabemos realmente do que se trata essa musica. É… Felizmente, entradas posteriores da série foram bem mais fáceis de entender.

Kotoba Asobi. Nem tente entender essa coisa. Cada vez mais desconfio que nem o MOTHY entende [rsrs]
Kotoba Asobi. Nem tente entender essa coisa. Cada vez mais desconfio que nem o MOTHY entende [rsrs]

Agora, enquanto eu definitivamente não vou ficar aqui falando sobre cada uma das quase 60 musicas lançadas nessa série, uma outra entrada inicial precisa ser mencionada. Aliás, duas entradas: Aku no MusumeAku no MeshitsukaiDaghter of Evil (Filha do Mal) e Servant of Evil (Servo do Mal), ambas as musicas lançadas em abril de 2008, respectivamente cantadas pelos vocaloids Kagamine Rin e Kagamine Len, e que essencialmente contam a mesma história, porém sob a perspectiva de dois personagens diferentes.

Nestas musicas, somos introduzidos a uma “princesa de 14 anos”, cujo orgulho a levou a incitar a guerra contra um país vizinho, guerra esta que acabaria por incitar uma revolução dentro de seu próprio país, que afinal destituiria e – assim conta a história – mataria a princesa na guilhotina. Uma musica claramente inspirada na Revolução Francesa, algum tempo depois receberíamos mais informações sobre o que de fato acontece. A princesinha chamava-se Riliane Lucifen d’Austriche, o reino que ela governava era o reino de Lucifenia, e o ano do ocorrido foi 514 EC (Evillious Calendar, Calendário de Evillious).

Todas estas informações nós sabemos, pois estas duas musicas – e algumas outras que vieram depois – deram origem a uma série de light novels que empresta justamente o título da primeira musica: Aku no Musume, Daughter of Evil. A série é, dentre as séries de livros, a única finalizada até o momento, e conta com quatro volumes: Ki no Clôture (Clôture of Yellow), Midori no Wiegenlied (Wiegenlied of Green), Aka no Praeludium (Praeludium of Red), e Ao no Praefacio (Praefacio of Blue), todos os livros lançados entre 2010 e 2011, e que melhor apresentaram personagens que se tornariam chave na trama que se desenvolveria a seguir, incluindo ai Eluka Clockworker, Irina, e o garoto Allen Avadonia, servo de Riliane.

As quatro light novels de Aku no Musume
As quatro light novels de Aku no Musume

Mas deixemos os livros de lado por um momento – acreditem, logo retornaremos a eles – e voltemos para as musicas. Pois é um bom momento para explicar um dado importante sobre Evillious Chronicles: menos que uma única série, Evillious é, para todos os efeitos, um aglomerado de séries menores e musicas “soltas”.

A primeira das cinco séries que conformam Evillious Chronicles é a série Clockwork Lullaby, que atualmente conta com 9 entradas. Cada musica é numerada a partir do 0, e especula-se que ao final haverá um total de 12 musicas nesta série: uma musica para cada hora do relógio. Esta é, porém, a série mais “aleatória” de toda a franquia, e suas musicas parecem servir para “tapar buracos” ao longo da cronologia. Ela parecem, porém, ser bastante focada nos 7 Recipientes de Pecado, sete objetos, cada um contendo um demônio do pecado, que foram gerados pelos Gêmeos Malditos (já falaremos deles, podem esperar). E a característica mais distintiva desta série é a melodia “ru ri ra” (ou “lu li la“).

A seguir vêm duas séries, ambas iniciadas com a musica Aku no Musume. A primeira que merece menção é a série Story of Evil, que basicamente se foca nesse período da história da Riliane. Curiosamente, esta é uma série que eu pessoalmente pensava que não receberia mais musicas, mas eis que na semana que escrevo este artigo é lançado um álbum com três musicas que se passam pouco tempo antes dos eventos de Story of Evil se desenrolarem. Oh bem… Mas voltando ao tema a musica Aku no Musume também dá início àquela que talvez é a série mais conhecida do autor: Deadly Sins of Evil.

A
A “Filha do Mal”: Riliane Lucifen d’Austriche

Única saga efetivamente encerrada entre as musicas, a série Deadly Sins of Evil é composta de 7 musicas, cada qual referente a um pecado capital. Em ordem de lançamento: Aku no Musume (orgulho), Akujiki Musume Conchita (Evil Food Eater Conchita, gula), Enbizaka no Shitateya (Tailor of Enbizaka, inveja), Venomania-kou no Kyouki (Lunacy of Duke Venomania, luxúria), Akutoku no Judment (Judment of Corruption, avareza), Nemurase Hime Kara no Okurimono (Gift from the Princess who Brought Sleep, preguiça) e Nemesis no Juuku (Muzzle of Nemesis, ira). Cada musica foca em um dos 7 Pecadores, humanos possuidores de um dos Recipientes de Pecado e que fizeram um pacto com o demônio que habita no recipiente.

A série seguinte foi a Original Sin Story, tecnicamente dividida em dois “atos”. É uma série que, de certa forma, serve de “prólogo” a todo o restante, dado que em boa parte ela se passa antes do estabelecimento do Calendário de Evillious (EC). No primeiro ato, somos apresentados ao Reino Mágico de Levianta, no qual existe a Arca Pecado, um dispositivo onde habitam os Deuses Gêmeos. Por meio de sua profetisa, Mary-Go-Round, os Deuses Gêmeos previram que o fim dos tempos se aproximava, e que a única forma de evitá-lo era encarnando os gêmeos em forma humana, para que pudessem purificar o mundo. Os deuses forneceram a Semente Divina, mas ainda seria preciso uma mulher que pudesse recebê-las, a fim de dar a luz aos deuses. Começava então o Projeto MA (Mem Aleph), que visava a criação de corpos que os deuses pudessem habitar.

O primeiro projeto, conforme vemos na musica Project MA, foi encabeçado por Adam, e a mulher escolhida foi Eve. Infelizmente, o projeto saiu terrivelmente errado, e os gêmeos, Cain e Abel, nasceram mortos. Diante do fracasso, Adam e Eve partem para morar na floresta, e o projeto fica a cargo de Seth. A segunda candidata, Meta, que conhecemos na musica Majo Salmhofer no Toubou (Escape of Salmhofer The Witch), felizmente chegou a dar a luz, mas em última hora ela se arrependeu da decisão e decide que seus filhos não seriam teste de laboratório: pegando as crianças, ela também fugiu para a floresta. Um ano se passaria até que, num fatídico encontro, Meta seria morta por Eve, e seus gêmeos, Hansel e Gretel, seriam levados pela mulher.

Eve Zvezda
Eve Zvezda

Mas o Projeto MA não poderia parar. Mais quatro tentativa foram feitas, e a sétima é aquela que é contada no segundo ato desta história. Aqui, quatro mulheres foram escolhidas, todas potenciais candidatas a mãe dos deuses gêmeos. Eu não quero me estender demais aqui, até porque tem mais coisas para se falar, então vou tentar ser breve e só dar as informações mais importantes.

Em primeiro lugar, duas das candidatas eram Irina Clockworker e Eluka Clockworker, a segunda sendo esposa do irmão da primeira. E na musica MA Survival, vemos que conforme a seleção avançava, 3 das mulheres morrem pelas mãos da Irina, que se torna então a única candidata. Antes que ela pudesse ser empossada, porém, um desastre se abateu. Ouvindo um sussurro, Kiril Clockworker, irmão de Irina, colocou ao corpo de sua esposa, Eluka, na Arca Pecado, na esperança de que isso a revivesse. O resultado disso foi uma explosão que completamente destruiu ao Reino Mágico, e que resultou em uma Eluka que, embora viva, havia perdido quase todas as suas memórias.

Na floresta, porém, o incidente no Reino Mágico teve outro efeito: carestia. E, sem ter o que comer, logo Adam e Eve decidem abandonar as duas crianças que adotaram havia 13 anos: Hansel e Gretel. Perdidas na floresta, as crianças vão à loucura, e quando afinal voltam à sua casa, confundem Eve e Adam com uma bruxa e seu capanga, matando-os rapidamente. E é do corpo de Eve, atirada ao fogo, que sai o Pecado Original, que os gêmeos separam em sete fragmentos: os Recipientes de Malícia. Quando soube do ocorrido, o deus da floresta, Held, pediu à Eluka que encontrasse os recipientes. Enquanto isso, Irina, que sobrevivera à explosão graças a ajuda de Seth, que colocou a alma da mulher no corpo de um gato vermelho de pelúcia, também viria a saber sobre os sete Recipientes, e imediatamente decidiria buscá-los.

Irina como a única sobrevivente dentre as 3 candidatas. À esquerda dela, Eluka.
Irina como a única sobrevivente dentre as 3 candidatas. À esquerda dela, Eluka.

Em essência, Evillious Chronicles é, em sua maior parte, a busca empreendida pela Eluka e pela Irina, conforme ambas as magas batalham através das era pelos sete recipientes. A trama, porém, fica de fundo às histórias dos sete pecadores, que foram aprofundadas na segunda série de Light Novels da franquia: Aku no Taizai (Deadly Sins). No momento em que escrevo esse texto, a série conta com 5 livros lançados, sendo que a a sexta novel do arco, referente ao pecado da avareza, está para sair. Com isso, teremos uma novel para cada pecador (excetuando-se aqui a Rilliane, pecadora do orgulho, cuja história já foi contada em sua própria série de novels; e a Nemesis, a pecadora da ira) mais a novel do Pierrot (personagem do arco da gula e cuja novel retrata o embate decisivo entre Elluka e Irina)

E então nós entramos no último arco da história, conforme se aproxima agora o ano 1000 EC. Conforme vemos, Galleria Marlon, o Pecador da Avareza, estava tentando reunir os 7 Recipientes de Pecado, obtendo êxito e conseguindo 6 deles, antes de morrer. Os objetos foram armazenados em um “teatro” na floresta, mas conforme o tempo passava eles começaram a “despertar”. Dos seis objetos, quatro despertaram, dando origem ao que nós chamamos de Formas Acordadas dos Recipientes: Boneca Juíza (boneca, recipiente da preguiça), Waitress (espelho, recipiente do orgulho), Gear (colher, recipiente da avareza), e Mestra do Cemitério (taça, recipiente da gula). Os recipientes ainda adormecidos são as tesouras gêmeas (inveja) e a espada Venon (luxúria). Finalmente, aos membros do Teatro se juntam outras duas figuras: o Jardineiro, Gamon Octo, e a Maga do Tempo, MA. Quanto ao sétimo recipiente, a Chave Grim The End (ira), nós não temos ainda certeza do seu status, dado que é o único recipiente que não está com os membros do Teatro, mas sim com a personagem Nemesis Sudou.

Os habitantes do Teatro.
Os habitantes do Teatro.

Eu falo tudo isso, pois agora entramos na saga Four Ends. Conforme o ano 1000 se aproxima, vão surgindo na história 4 “mestres”, cada qual com seus próprios objetivos. E cada um recebendo, também, uma canção. Assim, temos, novamente em ordem de lançamento: Master of the Graveyard (a já mencionada Mestra do Cemitério), Master of The Court (a Mestra da Corte: a Boneca Juíza), Master of The Hellish Yard (a Mestra do Jardim Infernal, de identidade ainda não confirmada, mas cuja musica é cantada da perspectiva da personagem Nemesis Sudou, a Pecadora da ira), e uma musica ainda não lançada, mas que podemos assumir que será em algum momento, Master of The Heavenlly Yard (cuja identidade possivelmente será a do garoto Allen Avadonia, o servo da “Filha do Mal”, Rilliane).

Conforme descobrimos ao longo da história, o mundo no qual ocorre tudo isso é o Terceiro Período, criado pelos Quatro Deuses (o deus sol Sickle, o deus da floresta Held, e os deuses gêmeos progenitores da humanidade, Levia e Behemo) com o objetivo de eliminar a Malicia, uma força que já havia devastado o Segundo Período (e não, não sabemos praticamente nada do Primeiro Período, ao menos por enquanto). E conforme o final da era se aproxima, cada um dos quatro mestres mencionados se torna o candidato a trazer um dos quatro finais possíveis: Morte, Julgamento, Punição ou Utopia. Qual destes finais será o escolhido, porém, isso é algo que ainda estamos para descobrir, conforme o tempo do Terceiro Período se acaba.

Morte, Julgamento, Punição e Utopia: com as cortinas se fechando sobre o Terceiro Período, qual será o final escolhido?
Morte, Julgamento, Punição e Utopia: com as cortinas se fechando sobre o Terceiro Período, qual será o final escolhido?

Ufa! Acho que foi um resumo… Aceitável. Não se enganem: muita coisa ficou de fora, muita coisa mesmo. Evillious Chronicles é uma série absurdamente rica e diversificada, e também absurdamente imensa. Pudera: de seu começo em 2008 já se vão quase dez anos de musicas, livros, histórias soltas, álbuns… Um só texto jamais poderia fazer justiça a toda a série, ao menos não um texto cuja proposta era ser o mais curto possível [rs].

A série é também famosa por seus vários twists no roteiro, e não é raro que uma nova entrada na franquia – seja uma música, álbum ou novel – completamente mude tudo o que sabíamos da série até então. Acreditem: essa história pode ser tudo, menos entediante [rsrs]. E se você quiser saber mais, o que eu posso fazer é recomendar que olhe a wiki da franquia, e inclusive já deixo também linkada a página na wiki que lista todas as musicas da franquia (só não vão se assustar com o número de entradas: eu falei sério quando disse que eram quase 60 musicas). Infelizmente, tudo em inglês, então você vai precisar de um conhecimento pelo menos básico do idioma para ler.

South North Story não relatado (entendedores entenderão)
South North Story não relatado (entendedores entenderão)

Por fim, eu só vou dar uma informação que eu não soube onde encaixar em outro lugar do texto: é comum que producers tratem seus vocaloids como se fossem atores e atrizes, interpretando certos papeis em suas musicas, e MOTHY certamente não é exceção. Em várias musicas os créditos dirão algo como “[Personagem tal] – Hatsune Miku”. E o que acontece é que um único vocaloid pode “interpretar” vários personagens (hey, por mais vocaloids que existam, não há nem de longe o bastante para povoar literalmente um universo [rsrs]), e como o design dos personagens são inspirados nos dos vocaloids, é comum que personagens tenham aparência semelhante. E isso importa. Por vezes, aparência semelhante pode indicar descendência, ou mesmo re-encarnação. Obviamente não serão todos os casos, mas fiquem de olho em quais vocaloids interpretam quais personagens: muitas vezes isso não é puramente aleatório.

Para encerrar, se algo ficou confuso, não se preocupe: isso é absolutamente normal numa série como Evillious [rs]. Aliás, um problema maior seria justamente se nada tivesse ficado confuso, já que o ponto dessa coisa parece ser o de deixar o espectador com mais dúvidas do que respostas [rsrs]. Ainda assim, se quiserem sanar alguma dúvida em especial, podem perguntar nos comentários que eu respondo. E em todo caso, eu espero que tenha sido uma boa apresentação à série, e que isso desperte ao menos em alguns a curiosidade de ir conhecer mais. Evillious Chronicles é um bom exemplo do que é possível de se fazer com vocaloids, e acredito que merece muito mais visibilidade do que possui atualmente.

Outros artigos que podem lhe interessar:

Lista – 10 Musicas de Vocaloid que Valem a Pena Ouvir

Review – Kagerou Project

Sobre símbolos, referências e alegorias

Imagens (na ordem em que aparecem):

1 – MOTHY, ft VOCALOID – Zenmai-Jikake no Komoriuta 5 – Chrono Story

2 – MOTHY, ft VOCALOID – Zenmai-Jikake no Komoriuta 7 – Nanatsu no Tsumi to Batsu

3 – Caixa da vocaloid Hatsune Miku V3 (wikipedia).

4 – MOTHY, ft Kagamine Rin – Zenmai-Jikake no Komoriuta 0 – Kotoba Asobi

5 – Capas dos volumes 1 a 4 de Aku no Musume

6 – MOTHY, ft Kagamine Rin – Aku no Musume

7 – Capa do álbum Original Sin Story -Act 1-

8 – MOTHY, ft VOCALOID – MA Survival

9 – MOTHY, ft VOCALOID – Zenmai-Jikake no Komoriuta 6 – Capriccio Farce

10 – Capa do álbum que acompanhou a edição especial da Light Novel Aku no Taizai Gobanme no Pierot

11 – uniMemo-P & MOTHY, ft. Kagamine Rin & Len – South North Story

Anúncios

2 comentários sobre “Conheça Evillious Chronicles: uma Dark Fantasy que vai da Criação ao Apocalipse

  1. Conhecia essa série faz um tempo, mas admito que o fato de ter 60 músicas dá preguiça de assistir… XP Tenho medo de me embaralhar toda com tanta música. No fim, só ouvi Story of Evil e Seven Deadly Sins.
    Queria até conhecer a série melhor, não só pelas músicas (como disse, acho que vou acabar me confundindo ^^’) mas pelos mangás e light novels que tem… Mas não acho nenhum lugar que esteja traduzindo (sou seja, que não abandonou a história lá no capítulo 2 :V), e conheço muita gente pela internet que está muito avançada… Vou te consultar aqui então hauahauah É algum site que traduz que eu não conheço ou as pessoas manjam do japonês mesmo? XP
    Só não entendi duas coisinhas… Os sete pecadores, eles são meio que pessoas aleatórias que, obviamente, pecam muito em um dos sete pecados ou elas tem algo a ver com os recipientes da malícia? Tipo, essas pessoas se tornaram um dos sete pecadores quando o Pecado Original foi dividido?
    Outra coisa, de onde surgiram esses mestres? Tipo, eles são os próprios recipientes acordados dos pecados, eles controlam os recipientes, são apenas pessoas com nada de muito especial ou o que? No geral, não entendi muito bem o que eles fazem (além de claro, definir o destino do mundo heueheu).
    Sabe se já lançou Master of The Heavenlly Yard? Vamos se dizer que eu tenho um carinho especial pelo Allen, e tô louca pra música lançar hehe ^^’

    Curtir

    • Vamos lá, responder uma coisa de cada vez xD
      – Sobre as novels: infelizmente, não tem elas em praticamente lugar nenhum, ao menos não traduzidas. Normalmente, quem fala das novels é porque importou e leu a versão em japonês mesmo. MAS, a wiki de Evillious tem resumos de todas as novels, e num geral é dali que a vasta maioria tira as informações xD
      – Sobre os pecadores, isso ainda não está lá muito claro, na verdade. Todos os 7 apresentados são humanos normais que fizeram um pacto com o demônio que habitava a um dos recipientes, e isso ao longo da história (Venomania, que faz o pacto com o demônio da Luxuria, é de de em torno de 300 EC, enquanto a Rilliane, pecadora do orgulho, é de 500 EC, e Galleria, da Avareza, de finais de 900 EC… deu pra entender, né? Estão espalhados rs). Isso dito, ao longo da história MUITA gente fez pactos com os demônios, mas por algum motivo este sete pecadores são os mais destacados. Por quê? No fandom assume-se que é porque eles foram os que trouxeram maior destruição ao mundo, mas é tudo especulação, ninguém sabe de verdade ainda =T
      – Os quatro mestres são também um enorme mistério. Originalmente, o título de “Mestre do […]” pertenciam aos quatro deuses que criaram o mundo, e até hoje Sickle, o deus sol e senhor dos quatro, é aquele que oficialmente tem o título de Master of The Heavenlly Yard (e todo mundo assume que ele ainda vai passar esse título pro Allen, o servo do Story of Evil, que ta junto do Sickle desde q morreu porque… SIckle quis… aparentemente :v). Só que a identidade e origem dos mestres da terra é beeeem vaga ainda. Sabemos que a Mestra do Cemitério é a Conchita, que se tornou o demônio da Gula após devorar a si mesma em sua musica. A Mestra da Corte é o recipiente da preguiça acordado, ou seja, é a alma do demônio que estava aprisionada ali, mas não fazemos nem a mais vaga noção de quem seria esse demônio (o demônio da preguiça original saiu da Boneca há muito tempo, era pra ter ninguém nela x_x). E a Mestra do Jardim Infernal é a mais bugada. Existem meio que “duas” mestras: Nemezis Sudou, a pecadora da Ira, que assume o título quando ela se torna Ditadora e inicia basicamente uma guerra mundial que leva ao fim do mundo, e nós temos a que seria a mestra “verdadeira”, que governa o inferno literalmente e teoricamente é quem o Galleria vê na sua musica. Quem é essa mestra? Seria ela a mesma que a Nemesis? Ninguém faz a menos ideia.
      – Sobre Heavenlly Yard: não, não saiu ainda ;-;
      Bom, isso ficou enorme, mas espero que ajude XD E se entende inglês, vai olhando a wiki que é a melhor fonte de informações pra Evillious o/ (e ouça as musicas, mesmo sendo muitas, ao menos são gostosas de ouvir XD kkkkk)

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s