Lista – 10 Musicas de Vocaloid que Valem a Pena Ouvir

Sem título2

Antes de mais nada, se você não sabe o que é um vocaloid, aqui vai uma rápida explicação: trata-se, em suma, de uma voz gerada artificialmente a partir de uma voz humana real. A voz sintética é então vendida e normalmente quem a adquire usa na confecção de vídeos musicais. Aqueles que fazem esses vídeos costumam, dentro da fan-base de vocaloids, a serem chamados de “Producers” (“produtores), e é por isso que muitos autores que vocês verão nesta lista seguem a estrutura básica de “[pseudônimo]-P”. Em adição, enquanto existem muitas musicas de vocaloid no youtube, a vasta maioria das musicas começam sendo publicadas no site de vídeos japonês Nico Nico Douga, dado que a maioria dos producers são japoneses (ainda que existam, sim, compositores em outras línguas, sobretudo inglês e espanhol). E claro, uma vez que se trata de um produto que qualquer um pode comprar, o roll de produções está limitado tão somente pela criatividade humana

Isso dito, a imagem que as pessoas parecem ter desse tipo de mídia é a de que trata-se apenas de um monte de musicas pop sem conteúdo cantadas por vozes mecanizadas, o que não poderia estar mais fora da realidade. E é por isso que quis montar esta pequena lista. Para os 10 itens abaixo, eu selecionei musicas que eu considero que fujam um pouco desse estereótipo, ainda que de forma nenhuma essa lista esgote o que a mídia tem a oferecer. Antes de mais nada é uma “porta de entrada”, por assim dizer, e quem quiser ir se aprofundando o youtube está logo ali (rs). Mas antes de ir pra lista, apenas 3 avisos rápidos: 1) isto é uma lista, não um top. Não quero dizer que estas são as melhores musicas ou as que mais valem a pena, são apenas 10 musicas que eu considero boas e só. 2) As citações às musicas são meio que traduções e paráfrases das letras encontradas, em sua maioria, na wiki de vocaloid (em inglês). E 3) enquanto a maioria das musicas é upada originalmente apenas no Nico Nico Douga, alguns poucos producers tem um canal no youtube, e para estes casos eu linquei no post o vídeo original no youtube, então sintam-se a vontade para dar alguma visualização a estes trabalhos. E tudo isso dito, vamos à listagem.

10) Hatsune Miku – Irony

Irony
Irony

Acho no mínimo inevitável que uma lista como esta acabe tendo pelo menos uma musica daquela que é, afinal, a mais popular vocaloid até o momento. E enquanto Irony não é a mais popular ou mesmo a mais dramática das musicas da personagem, sua letra ainda é um bom exemplo do que é possível ser feito neste tipo de mídia.

Produzida por alguém que se identifica como “Scop” e lançada em 2012, a musica é uma das poucas a entrarem no chamado “Hall das Lendas” (título dado às musicas que passam de um milhão de visualizações no site Nico Nico Douga), sendo cantada da perspectiva de uma personagem que lamenta seus próprios problemas.

A musica começa com a personagem se dizendo cansada de andar, pedindo um tempo de descanso apenas para reconhecer que o tempo não para e ela é continuamente forçada a seguir no curso da vida. Sentimentos como desolação e confusão se mostram comuns ao longo da musica, que acaba por soar muito mais como um desabafo do que qualquer outra coisa.

E quando a musica termina, percebemos que a protagonista segue tão confusa e amedrontada quanto começou. Reconhecendo que não sabe o que é a vida, ela diz que segue vivendo e se pergunta se isto é a felicidade de fato. A resposta, é claro, fica jogada para o espectador dar a sua, convidando-o a refletir sobre a própria existência. Afinal, quantos de nós já não tiveram um dia onde tudo parecia incerto?

9) Yuzuki Yukari – Housenka

Housenka
Housenka

E da mais popular das vocaloids nós damos um giro de 180º com uma musica de uma vocaloid relativamente desconhecida. Em adição, de uma musica que integra o Hall das Lendas nós vamos agora para uma que aparentemente ainda nem chegou às 100.000 visualizações no Nico Nico Douga. Ainda assim, Housenka (ou Balsam, como é conhecida em inglês) não deixa nada a desejar em termos de profundidade e dramaticidade.

Com letra de Kurosawa Madoka e lançada em 2013, a musica é cantada da perspectiva de uma garota que aparentemente fica isolada na sala de aula. E enquanto ela tenta se convencer que seu isolamento é uma vontade sua, desdenhando as relações de amizade de seus colegas de sala, em seu íntimo ela sabe que isto não é mais do que um mecanismo de defesa para tentar suportar a solidão.

Frases como “se não fingir, significa que já estou quebrada” ou “apenas me dê um coração que não quebre” , pareadas com outras como “vocês nem conseguem ir ao banheiro sozinhas” ou “eu gosto de ficar sozinha”, fazem um bom trabalho de mesclar sentimentos de solidão, angústia, orgulho e desprezo, tudo com um tom que descreve alguém lentamente se fechando mais e mais para o mundo à sua volta, ainda que reconhecendo o quanto isso lhe trás sofrimento. E ainda que a musica nunca chegue a dizer  por que, exatamente, a garota está isolada, o que de fato vemos é uma ótima exploração de como o isolamento pode levar ao sofrimento disfarçado de indiferença.

8) Kagamine Len – Chilledren

Chilledren
Chilledren

Honestamente, dentre as musicas de vocaloid, Chilledren talvez seja uma das mais provocantes em suas temáticas. Sendo mais uma musica de Kurosawa Madoka, e também lançada em 2013, temos aqui um interessante comentários em temas como crianças de rua, violência urbana, sistema legal, entre outros, todos girando em torno da temática de crianças abandonadas que fazem o que podem para sobreviver.

A musica começa com um garoto, chamado apenas como L (em referência clara ao vocaloid que canta a musica), abrindo a porta de um congelador, onde encontra apenas restos apodrecidos, logo depois murmurando para si mesmo que ele também é assim. O restante da musica narra sua vida de garoto de rua na cidade grande, muitas vezes tendo de agir com violência para ter o que precisa, ao mesmo tempo em que sentimentos como amor e carinho lhe foram claramente negados.

Com frases como “este país se preocupa com nosso futuro, então irão me perdoar mesmo se eu matar; afinal sou uma criança, né?” ou “quando chantagem e violência são imaturas, eles podem ser resolvidos chamando de bullying” a musica faz uma pesada crítica a um sistema legal que muito pouco faz para combater a criminalidade infantil, ao passo que frases como “não podemos encontrar um lugar ao qual pertencer?” e “palavras murmuradas por bocas secas nada sabem sobre o futuro” expressam bem o quão desumanas podem ser as condições de uma criança vivendo nas ruas.

7) Kagamine Rin – Lost One no Goukoku

Lost One no Goukoku
Lost One no Goukoku

E temos aqui mais uma musica que atingiu o Hall das Lendas. Lançada em 2013, com letra de alguém que se identifica como Neru, esta é outra musica bastante provocativa em suas temáticas. Cantada da perspectiva de um aluno, a musica consegue ser uma pesada crítica ao sistema escolar, levantando questões como a utilidade daquilo que se é aprendido, a perda da individualidade, entre outros temas.

Frases como “pode ler as letras neste quadro negro? Pode ler o coração daquela criança?” ou “pode resolver esta equação em seu ábaco? Pode afrouxar o nó da corda no pescoço daquela criança?” expõem de maneira brutal a impessoalidade, e mesmo apatia, do sistema escolar, em pares que muito lembram a famosa frase de Chaplin em seu filme O grande Ditador: “pensamos muito e sentimos pouco”.

Já frase como “o dever de casa de hoje sou eu, o senhor genérico”, combinadas com o fato do personagem principal parecer conversa com uma versão de si mesmo com uma folha em branco no rosto, criticam a padronização e a falta de individualidade que as escolas podem criar. E claro, todo o trecho final, sobretudo a passagem “quando me tornarei adulto? Mas o que significa se tornar adulto, em primeiro lugar? Para quem deveria perguntar?”, é uma forte provocação ao espectador, que possivelmente se verá com dificuldades para responder com clareza a estas perguntas, mesmo que já seja, para efeitos legais, um “adulto”.

6) Megurine Luka – Interviewer

Interviewer
Interviewer

A uma primeira vista, a musica de autoria de alguém que atende pelo pseudônimo Kuwagata-P, lançada em 2011, parece tratar de uma garota desiludida com sua paixão. Frases como “qual sua comida favorita?” ou “quem é a pessoa que você gosta?” certamente indicam nessa direção, como se a personagem protagonista estivesse tentando conhecer melhor a pessoa por quem se apaixonou. Porém, uma análise mais cuidadosa pode indicar algumas colocações um pouco além disso.

Frases como “as musicas mais populares dizem que sua vida é preciosa, mas se eu fosse substituída por outra pessoa ninguém ligaria”, ou “nossos ‘eus’ emprestados estão buscando por um assento”, ou então “eu quero ser amada”, indicam uma personagem que vai perdendo seu senso de individualidade, apagando a seu próprio ego conforme se julga dispensável e sub-apreciada, desesperadamente clamando por alguém disposto a notá-la e amá-la, “mesmo que superficialmente”, como indica a musica.

O final, porém, é o que há de mais curioso. Ao final, insegurança e medo são colocados como egoismo (“estou sempre desistindo por egoísmo”), e ela conclui que o que realmente a machucava era sua própria presunção (“e machucada por minha própria presunção”), o que pode ser uma tentativa da musica de nos dizer que, muitas vezes, o motivo de nosso sofrimento e angústia não é nada mais do que nosso próprio ego. E com essa realização, a garota pergunta se ainda daria tempo. Para o que? A musica não diz. E fica para o espectador a tarefa de preencher a lacuna.

5) Megurine Luka – Perfectionist Complex

Perfectionist Complex
Perfectionist Complex

A esta altura da lista, alguns devem estar pensando que eu fiz questão de pegar as musicas de vocaloid mais depressivas que consegui encontrar. Então para evitar de falar apenas daquelas que expõem o quanto a vida pode ser difícil e angustiante, vamos falar agora de uma que faz todo o possível para conciliar a angustia da vida com a sua beleza e aproveitamento.

Lançada em 2011 pelo usuário do Nico Nico Douga Yamikuro, esta musica quase parece inspirada no chamado “absurdismo”, movimento filosófico no qual se busca aceitar o “absurdo” da vida (isto é, a noção de que a vida em si não possui nenhum propósito intrínseco). Vemos isso logo no começo, quando a personagem que canta diz que este mundo foi “criado pelos deuses apenas para combater o tédio”, ainda atestando que “mesmo que você morra, nada irá mudar”. Mas se esse começo poderia fazê-la soar como uma musica excessivamente depressiva, a continuidade completamente subverte esse início: “se viver e morrer são a mesma coisa, eu escolho viver”.

Em si, a mensagem da musica é que devemos aceitar a vida como ela é, buscando aproveitar cada uma de suas partes, sejam elas boas ou ruins. “Se rir e chorar são o mesmo, então eu vou rir e chorar”, a protagonista conclui. E aponta ainda que “se viver e morrer são a mesma coisa, eu vou descobrir depois de viver esta vida”. Certamente uma ótima musica para se ouvir quando se está triste, e que nos lembra que, afinal, a nossa tristeza e angústia, bem como todas as nossas emoções, nada mais são do que uma prova de que estamos vivos.

4) GUMI – Keppekishou

Keppekishou
Keppekishou

Sendo esta outra musica de Scop, e também de 2012, imagino que já podem ter uma ideia do que virá pela frente. Keppekishou (ou Clean Freak, como é chamada em inglês) apresenta uma série de frases tecendo cínicos comentários sobre os relacionamentos humanos, muitos dos quais são um verdadeiro soco no estômago.

“Querer que todos sejam felizes é esperar demais”, começa a musica, deixando claro já de início o quão “suja” se revela a nossa sociedade. Com frases como “quando dizemos que estamos sozinhos, estamos apenas fingindo entender um ao outro”, “confundimos satisfação com amor” e “rapidamente ficamos cansados do que obtemos, e então jogamos fora”, a musica mostra um claro direcionamento para as relações amorosas (ou ditas amorosas) e a facilidade com que elas podem se mostrar tudo, menos amor. Mas de forma nenhuma a musica se limita a estas relações.

Frases como “sempre se preocupando demais com a aparência” ou “estamos envenenados pela ganância” apontam para a ideia de que o problema não são as relações amorosas em si, mas a própria natureza egoísta humana, que corrompe e “superficializa” todas as relações entre pessoas. Demasiado pessimista? Talvez. Mas ainda assim, é uma letra que certamente nos faz refletir, inclusive sobre a forma como nós mesmos tratamos aqueles próximos a nós.

3) GUMI – Ringo Uri no Utakata Shoujo

Ringo uri no utakata shōjo
Ringo uri no utakata shōjo

Se até aqui eu me concentrei em musicas mais “temáticas”, onde uma “trama” propriamente dita poderia ser de difícil compreensão  (Como em Chilledren) ou mesmo inexistente (como em Perfectionist Complex), a partir daqui vou me concentrar em musicas que se preocupem principalmente com a sua narrativa, ao invés de seus temas. E começamos isso com a musica Ringo Uri no Utakata Shoujo (ou, como é chamada em inglês, Transient Apple Sales Girl)

Composta por alguém que se identifica como Yukke, e lançada em 2012, a musica conta a história de um mundo de imortais, onde uma garota, nascida sob uma macieira, foi amaldiçoada com uma vida finita. Por conta disso, a garota é continuamente ignorada pelas demais pessoas da cidade, e mesmo quando tenta vender seus doces de maça ela só consegue ser atirada ao chão quando alguém “acidentalmente” esbarra nela. Neste momento, porém, um garoto aparece. Também amaldiçoado com uma vida finita, ambos se tornam amigos e, eventualmente, namorados.

A mim, o que mais chama a atenção nesta musica são os paralelos entre vida e morte. A musica diz que aquele era um mundo de imortais, mas ainda assim chama-o de “um mundo morto”, o que pode parecer confuso a princípio. Mas apenas a princípio. Vida e morte possuem uma relação dialética, no próprio ideal da dialética hegeliana. Isto é: um se define pela ausência do outro. A vida é a não-morte, e a morte é a não-vida. Um mundo sem morte é, também, um mundo sem vida. Justamente por isto esta é a história de “um mundo morto”, onde apenas “os dois viveram”. É somente por poderem morrer que ambos podem realmente ser considerados vivos.

E claro, neste caso, musica, vídeo e letra se juntam muito bem para criar um mundo bem definido e personagens carismáticos, ao menos dentro dos limites de seis minutos. É um feito a ser reconhecido, que muitas obras com horas e horas de duração não conseguem atingir, e que demonstra que muito menos do que o tempo, é a competência do autor o que determina se uma história será boa ou não.

2) Vários – Reboot

Reboot
Reboot

Você não pensou que as musicas tristes haviam terminado, pensou? Bom, se sim, lamento desapontar. Lançada em 2012 por alguém que se identifica como JimmyThumb-P, a musica combina 3 vocaloids (Hatsune Miku, Megurine Luka e uma “vocaloid” criada pela própria JimmyThumb, Samune Zimi) para contar a história de 3 garotas.

Quando crianças, uma briga iniciada por um motivo fútil levou a um acidente que causou a morte de uma das três. Desde então, as duas outras garotas deixaram de se falar, de certa forma sentido-se culpadas (e culpando à outra também) pela morte da amiga. Contudo, após morrer a vítima do acidente torna-se um espírito, que passa a seguir as amigas na esperança de um dia vê-las reatar a amizade, não conseguindo, enquanto isso, fazer a travessia para o outro mundo.

Em si, não tem nada de realmente inovador nessa história, mas ainda assim ela é certamente muito bem executada. Da letra à melodia, e sobretudo a animação, a musica cumpre o papel de nos mostrar quem são estas garotas, sua amizade, a tragédia que as separou e seu re-encontro e conciliação. Tudo isso em pouco mais de quatro minutos. E funciona, sendo uma daquelas musicas que facilmente leva algumas pessoas ao choro. Emotiva, dramática, mas ainda assim com uma bonita mensagem de superação e conciliação, sem dúvida podemos entender como esta musica entrou no chamado Hall da Fama, que define as musicas que ultrapassaram as 100.000 visualizações no Nico Nico Douga.

1) Vários – Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~

Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~
Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~

Juntando nada menos do que 10 vocaloids (Miku, KAITO, Gackpo, MEIKO, Len, Rin, Luka, IA, GUMI e MAYU), Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~  foi publicada no site Nico Nico Douga em 2013, sendo de autoria de dois usuários: Hitoshizuku-P e Yama-P. E atualmente é outra musica que integra o Hall da Fama, já tendo inclusive ultrapassado as 500.000 visualizações.

Chamada em inglês de “Phantom Thief F’s Scenario ~Mystery of the Missing Diamond~“, a história começa quando o ladrão fantasma “F” manda uma carta avisando que roubaria o diamante a ser leiloado no navio S.S.Fantastic. Diante disso, uma jovem repórter é enviada ao local para cobrir o leilão, na esperança de presenciar o roubo ou a prisão do ladrão. E enquanto parece que a segurança do navio é impenetrável, quando as luzes do salão se apagam sem motivo o mistério começa.

Como alguém poderia ter roubado o diamante? Quem é o culpado de fato? Estava ele sozinho? E foi mesmo apenas um crime o que ocorreu aqui? Quem espera uma resposta clara a estas perguntas certamente irá se desapontar, com a musica terminando no mistério. Mas as pistas estão ali, para cada um interpretar e montar os seu próprio cenário. O que é, em boa parte, o “charme” de muitas musicas de vocaloid, essa falta de clareza em combinação com apenas a quantia certa de informação para que as pessoas possam bolar sua teorias.

Com uma ambientação da Europa do começo do século XX, um grande cast de personagens, uma excelente animação e um ritmo frenético que muito bem combina com uma história do tipo, é certamente uma história capaz de prender a atenção de qualquer um. E você, acha que pode solucionar o mistério?

Imagens (na ordem em que aparecem):

1 – Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~

2 – Irony

3 – Housenka

4 – Chilledren

5 – Lost One no Goukoku

6 – Interviewer

7 – Perfectionist Complex

8 – Keppekishou

9 – Ringo Uri no Utakata Shoujo

10 – Reboot

11 – Kaitou F no Scenario ~Kieta Daiya no Nazo~

 

Anúncios

Um comentário sobre “Lista – 10 Musicas de Vocaloid que Valem a Pena Ouvir

  1. excelente sua lista!

    algumas delas eu inclusive jah ouvi… eu particularmente gostava mto da voz da LILY quando tinham lançado o v3, apenar de preferir mto mais a v2 dela… dps parei de escultar o mundo de vocaloid… me entreguei ao chillstep e o drum & bass americano.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s